sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Bibelôs...

Sabem aqueles bibelôs (palavrinha veeeelha...) de cristal que nossas avós e mães tinham quando éramos pequenos e a gente NUNCA podia colocar a mão porque quebrava só de olhar?? Pois então...eu estou desconfiada que o amor seja tão frágil quanto esses enfeites...

As pessoas descartam as outras como se fosse roupa velha. “Não quero mais. Cansei de você”. E pronto...acabou.

Recentemente duas amigas passaram por isso. Uma delas tinha quase cinco anos de relacionamento. Era, em teoria, a próxima a se casar. Um belo (ironicamente,claro) dia o moçoilo disse que precisava se dedicar à carreira. Não teria mais fim de semana, nem noites livres e nem nada. Isso quis dizer “Não terei mais tempo para você”. Claro que junto vieram desculpas e mais desculpas. Essa minha amiga ficou muito mal mas, para meu orgulho, deu a volta por cima. Hoje é uma das pessoas que mais me incentiva a ficar bem.

A outra “foi terminada” ontem à noite. O namorado de três anos dessa minha amiga disse que não a ama mais. Simples assim. “Gosto de você, não quero que você sofra, mas acho que o amor acabou”. Isso porque já tinham comprado até apartamento!

Fico me perguntando se o amor é assim... evapora de uma hora para outra. Será que é como dor de dente? A gente sente, sente, sente e de repente, do nada, ela desaparece? Eu espero que não...espero que o amor não seja um bibelô como os que a minha mãe tinha...Sabem por quê?

Porque eles eram tão lindos...mas intocáveis...

3 comentários:

Taciana disse...

Para mim, amor é uma decisão, que se toma todo dia. Paixão - aquele romance, aquele frio na barriga, aquela falta de fome - nasce e renasce várias vezes (eu já vivi vários ciclos, com a mesma pessoa!), mas amor... é mais. É decidir continuar apesar dos problemas, diferenças, dores de cabeça e tal. Para fortes.

Flávia disse...

Nossa... que comparação pesada...
Ate pareceu que eu ja passei por isso...rsrs... (sem comentários)

Claudia disse...

Amor mesmo não é o que acontecia entre as pessoas acima. Falta uma palavra para o sentimento que vai além da paixão, mas não chega a ser aquele amor eterno, poderoso (que existe sim). Amor mesmo dura mais do que alguns anos. É o que eu acho. A boa notícia é que tudo a gente supera.