terça-feira, 24 de agosto de 2010

História para alegrar o coração...1

Este é um post especial... na verdade, teremos alguns deles ao longo do blog. Ele nos faz acreditar que – sim! – uma hora aparece o amor verdadeiro. E que, apesar da distância, das complicações da vida e tudo mais, o amor sempre vence.

Dessa vez, como a história é linda e merece ser mostrada, não vou ocultar nomes.

Conheci a Fernanda quando eu estava na quarta série. Foi o meu primeiro ano morando em Vinhedo e a minha primeira classe na escola. No começo acho que não fomos muito amigas porque eu lembro que ela ficou muito brava quando o meu grupo tirou o primeiro lugar na Feira de Ciências e o grupo dela ficou em segundo. (Aliás, pausa para o comentário: foi uma das duas ocasiões que eu fiquei em primeiro e ela em segundo. A outra vez foi quando eu tirei um 9 de Biologia e ela uma nota mais baixa. Mas, fora essas duas, ela sempre ganhou e com mérito). Nos tornamos amigas, acho eu, depois dessa ocasião. A “tia Bela” nos ajudou na aproximação! (Thanks, tia Bela!)

A Fernanda é uma dessas pessoas que a gente adora admirar. É inteligentíssima (íssima mesmo!), super amiga, meiga (ta bom que vez ou outra soltas umas patadinhas, mas a gente se acostuma e te ama mesmo assim,Fér...!) e cozinha muito bem. Minha maior lembrança da nossa infância é a Fernanda dizendo que se pensasse em suicídio, se jogaria da Torre Eiffel. Para a mãe dela, dizia que moraria em Paris.

(Pausa para o comentário 2: minha mãe conta que a mãe da Fér dizia que provavelmente nunca a Fér moraria em Paris. Eles não tinham dinheiro para tanto sonho).

Pois bem... o tempo passou e como ele nós duas passamos por várias. De paixonite por professor compartilhada (eu me lembro que ele meio que deu em cima dela e ela me mandou uma carta linda no correio elegante da escola, com a letra da música da Céline Dion), choros por causa de provas (sempre meus,claro...), bilhetes e mais bilhetes trocados nas aulas e por aí vai. A Fér dançou na minha festa de 15 anos e foi a minha primeira visita na maternidade quando a Madu nasceu.

Um dia a Fér entrou na faculdade (óbvio que em primeiro lugar e óbvio que numa senhooooooora faculdade) e lá o destino dela mudou. Ela, que sempre disse que moraria em Paris, ganhou uma bolsa de estudos em....tchan,tchan...PARIS!!! Foi uma emoção só e lá seu foi a minha amiga...perdi a Fernanda para um croissant! Hahaha

E lá, do outro lado do mundo, ela conheceu o Clement. Sobre o Clemente, posso dizer que é um cara muito legal e engraçado. Esportista também. Vivia correndo maratonas e por aí vai.

Anos se passaram. Fér voltou para o Brasil e o Clement veio atrás. Ficaram por aqui um bom tempo e se casaram numa cerimônia linda e internacional. Alguns meses depois, perdemos nossa melhor amiga para a França. Hoje os dois moram por lá. Estão felizes e realizados. A minha amizade com a Fér supera distâncias e oceanos. Sempre sabemos que teremos uma à outra a hora que for. E ela, que na quarta série sonhava se jogar da Torre Eiffel, hoje pode viver um grande amor às margens dela...

Fér e Clement no casamento lindo em Vinhedo

3 comentários:

Nathalie disse...

Ahhh que lindo Tati!!!! Ameii o blog. Tô seguindo! E vamos lá, renovar minha fé no amor hehehehehe.... bjos querida!

Marcella disse...

que lindooo!! adorei

Fernanda disse...

Aaaah olha esta Tati que puxa-saco! hehehe
Obrigada pelo post tão bonito, dear!
(Mas também não precisava exagerar dizendo que eu sou meiga, né. Meiga é você dizendo "patadinhas", quem me conhece bem sabe que delicadeza não é muito o meu forte... :-p)
Saudades de você e da pequenininha! Beijos