sexta-feira, 24 de setembro de 2010

AA - Alcoólicos Anônimos e Amadores Anônimos...

Morro de curiosidade de perguntar para um alcoólatra o que ele sente quando vê um copo de bebida ou uma garrafa de qualquer coisa. Não conheço nenhum que possa me explicar,mas acho que deve ser bem parecido com o que sentem os apaixonados quando se encontram ou quando lembram um do outro.

Pausa para ver se acho alguma coisa no Google sobre o assunto e não achei nada consistente

Li alguns depoimentos de dependentes da bebida e acho que realmente a sigla AA pode servir para quem bebe e para quem ama. Isso porque, para o alcoólatra, a bebida é a companhia que falta. É o sopro de consolo, é a válvula de escape, é a companhia para a solidão, a coragem para quem é covarde. O companheiro de uma pessoa que ama é tudo isso também. Acho que isso me ajuda a explicar muita coisa que aconteceu e tem acontecido comigo. (Não,pai e mãe...não estou bebendo!). Aquilo para mim foi algo novo, o encontro com Mr.Right. O simples fato dele estar perto me fazia acelerar o coração, ficar ruborizada, não saber como agir. E era recíproco. Um dia estávamos jantando e ele me disse: "Estranho...fico nervoso ao seu lado. Não sei como agir, o que falar...". Acho que ele sentia a mesma coisa que eu.

Hoje eu brinco com ele, sempre que conversamos, que somos ao mesmo tempo a bebida e o alcoólatra. E,pior, não seríamos parabenizados na reunião do AA. Quantas vezes prometemos "Não vamos mais conversar" e a promessa durou não mais do que meio dia?? Quantas vezes tentamos nos manter longe, mas qualquer coisa era motivo para um contato mesmo que virtual? Isso é condenável no AA. Vergonhoso até.

Dia desses estava conversando com uma amiga e ela me perguntou porque eu estava tão certa de que Mr.Right era mesmo o Right. E a minha resposta deixou a pessoa de boca aberta e, confesso eu, que me assutou também. Eu disse a ela que sei disso porque só de estar ao lado dele eu me sinto mais calma, mais tranquila...só de saber que ele está lá, todos os dias online no meu Skype me faz entender que a distância não é nada e que ele está, na verdade, um clique longe de mim. Me assustou - e contei isso para ela - quando, no começo do relacionamento, quando eu ainda nem tinha entendido que estava apaixonada - ele foi me devolver a chave de uma sala, tocou a minha mão e a minha alma se arrepiou só do toque dele (não tenham a mente poluída...não é nada do arrepio que vocês estão pensando)

É...somos Absinto, vinho, espumante...somos o vício e o viciado. E sempre tentamos melhorar. Mesmo que por um dia. E só um dia.

Ou meio, no meu caso...

5 comentários:

Flávia disse...

Acho que vou tomar um vinho agora... rsrsr...

Claudio disse...

Meu Deus...
O que tem este Mr. Right tem que os outros não têm???
Por favor conte o segredo... (é rico, é lindo, bom de cama, bom de papo, etc).
Seria um bom guia para homens e mulheres...

claudio - propriedade da Flor disse...

Ah... Esqueci de elogiar o Blog...muito bom mesmo....
ass. Namorado da Flor...

MUNDO FASHION DA TATI disse...

Nossa, texto lindoooo!
Beijos.

mundofashiondatati.blogspot.com

Rafinha_SP disse...

Esse Mr.Right mais parece um deus grego. Será ele um Italiano? Espanhol? Americano? Chines? japonês? Africano? o bofe parece mesmo uma delicia.
R