segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A difícil arte de amar...

Taí um post que não consigo pensar em como começar. Pensei que fosse ter um tom de comédia, depois pensei em drama e depois resolvi deixar a coisa fluir. O título do post é o nome de um filme bem antigo com a Meryl Streep e o Robert De Niro. A história é sobre um casal que começa com uma vida linda e termina separado. Mostra exatamente que amar é uma arte.

Depois desse fim de semana, eu realmente acredito que amar é uma arte e que deveria ser ensinada na escola. Poxa, a gente tem judo, ballet, natação. Por que não ter uma aula sobre o amor?

Vamos à história...

O fim de semana começou normal, como todos os outros. Saí do trabalho e fui para uma reunião com uma amiga e nova cliente. Depois disso fui para casa. Sábado eu resolvi umas coisas corriqueira e depois parti para o centro espírita que frequento e tem reunião a cada 15 dias. O que eu não contei...na sexta eu mandei uma mensagem para o Mr.Right contando sobre essa nova cliente. Não esperei ele responder. Mandei porque queria compartilhar a boa nova com ele.
Pois bem...sábado estava rumo ao centro quando abro meu e-mail e vejo: Parabéns. Meu coração gelou e foi até a boca. Remetente do e-mail: Mr.Right. O texto me parabenizada e desejava que essa fosse a primeira de zilhões de conquistas. Encerrou o texto com ABRAÇOS.

Abraços?? Como assim, abraços?? Fiquei revoltada e entre no msn para desabafar minha indignação com uma das amigas. Mas, qual não foi a surpresa quando, no meio da minha lista de contatos, está o motivo da minha semi-raiva!! Falei para ele mesmo. Segue parte do diálogo inicial:

T – Vi seu e-mail. Pode mandar beijos quando falar comigo porque não vou achar que são beijos na boca.
MR – Ahn? Do que você esta falando?
T – Do seu e-mail. Abraços no fim. Tá achando o quê?
MR – Nossa, desculpa. Nada a ver...é assinatura normal. Trabalho com homens, sabe como é o costume.

E fomos conversando no caminho. Sobre coisas da rotina, sobre a vida, sobre nós. Cheguei no centro 18h mas só entrei na reunião às 19h30. Uma hora e meia discutindo a não-relação. A gente fala que não vai se falar, mas é mais forte do que a gente. Isso é engraçado. Eu rio. Se fôssemos do AA, estaríamos perdido. Somos os dois a bebida e os alcoólatras e não conseguimos perder o vício.

Enfim, contei para Mr.Right que estava no centro e desliguei. Fui para reunião. Saí de lá perto da meia-noite e, como de costume, chequei os celulares. Tinham três ligações no meu telefone que causa arrepios, todas do Mr.Right. No meu celular normal mais seis ligações e seis mensagens. Todas ele. Achando que eu não estava no centro, mas com o cara da balada. Estava indignado que não tinha atendido nem respondido as ligações e jurava me apagar da vida dele.

Liguei desesperada. Não pelo que ele falou, mas pela ação. Isso não é típico dele. Nem de longe. Expliquei que estava no centro e meus celulares estavam na bolsa. Ele não acreditou e paguei o mico de pedir que meu paidrasto falasse um alô para que ele reconhecesse a voz. Começamos a semi-discutir e disse que ligaria assim que chegasse em casa.
Cheguei na minha casa e liguei para ele. A esta altura ele pedia desculpas, disse que teve uma crise de ciúme que não poderia ter. Disse que me imaginou com o cara da balada e perdeu a cabeça, por isso começou a me ligar.

O resto da conversa, vocês conhecem...eu gosto de você, você gosta de mim. E não podemos fazer nada agora. Prometemos nos ver antes do casamento. Para quê, vocês me perguntam. Não sei, eu respondo. Mas alguma coisa me diz que precisamos fazer isso.

Desta vez não prometemos não nos falar mais. Ele me disse que a Natasha está na cidade fazendo um curso (pensem no meu surto solitário,mas não demonstrado) então não podemos mandar mensagem no celular um do outro até quarta-feira. Isso eu consigo fazer. Mas ele me disse que podemos conversar no Skype até lá.

Realmente não me entendo e não o entendo. Chega a ser engraçado...fui dormir com aquela sensação boa de amor correspondido. Acho que ciúme é bom, mostra que a pessoa gosta e se importa com a gente. Fui dormir muito feliz mesmo.

Hoje quando acordei, me toquei que o cara da balada mandou mais uma mensagem. “Precisamos marcar um encontro,né?”. Como assim?? Isso eu falo para cliente meu... “Precisamos marcar uma reunião”. Nem respondi. Hoje ele me ligou. Queria ir a um barzinho. Disse que estava esperando a Maria Eduarda chegar.

Não sei. Meu coração não está preparado. Senti naquele dia da balada que estava traindo não só ao Mr.Right, mas a mim mesma. Estava traindo o meu coração, o meu amor...

4 comentários:

Eusoqueriadizer disse...

Tati....
Como é mesmo difícil a arte de amar...
Mas se eu fosse fazer um filme, acho q se chamaria "mulheres que amam demais"... rs
Bjusss e boa semana!

Anônimo disse...

Pela leitura que fiz dos seus post, me revelou uma pessoa extremamente só,cuja auto estima é zero,pois vc só se aproxima de pessoas que não te querem e o que é pior vive contos de fada que te fazem parecer não ter saido da puberdade.
O amor verdadeiro só vem quando somos capaz de amar verdadeiramente as pessoas e não dizer te amo quando precisamos dela. Vc tem que crescer e ver que a vida não gira ao seu redor.
Voce deveria sentir pena do que escreve,mas talvez esta seja atualmente a unica maneira de chamar a atenção.
vc precisa é de tratamento psicologico, ou então vai chegar aos cinquenta,inventando histórias e vivendo como se fossem verdades,pois a vida real para vc não existe.

Aninha disse...

Pq esse "anônimo" se deu ao trabalho de ler tantas vezes o teu blog? Sim, pq pra alguém dizer com tanta propriedade que outra pessoa é sozinha, infantil e que precisa de psicólogo, o ser humano precisa no mínimo ter lido TODOS os posts. Isso, claro, se quer que seu comentário tenha algum tipo de validade.

Querido anônimo, se vc não gosta de quem escreve aqui, e/ou do que é postado aqui, não frequente este blog. Pode ter certeza que há milhares de outros espalhados pela internet pra vc fazer suas grandiosas e profundas análises.

E chega de dar corda pro teu comentário sem cabimento.

Flávia disse...

Acho que vc nao pode permitir que ele tenha esse tipo de reação. Independente de onde, quando e com quem vc estiver nao importa a ele... Vc é livre.. precisa pensar assim... Nao deve satisfação a ninguem...
Olha, hoje to revoltada, vc ja notou meus post no Twiter, to de TPM mais penso isso com mta clareza, mesmo estando de TPM... rs...