quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Homens e mulheres: amigos?

Esses dias me peguei pensando sobre a amizade entre homens e mulheres. Sempre fui defensora de que ela existe sem que uma das partes tenha interesse em algo mais do que amizade. Daí comecei a pensar em todos os amigos que eu tive e, pasmem, todos eles acabaram com interesse: meu ou deles.

Tive alguns amigos homens. Amigos daquele de frequentar a casa e tudo mais. E todos. Todos mesmo, tinha alguma coisa.

O primeiro que eu lembro se chamava Alexandre (nome verdadeiro porque nós conhecemos trocentos) e morava no meu condomínio. Eu nunca soube se ele realmente gostava de mim, mas a minha mãe dizia que sim. Ele ia de moto me buscar em casa (scooter, na verdade) e a gente ficava andando pelas ruas do Marambaia. Nada aconteceu, nunca. Ele também nunca falou nada. Mas, dizem que mãe não se engana.

Depois, no colegial, tive uma turma de amigos. Eu jogava RPG com eles e eu era a Lulu do Clube do Bolinha. Um deles era muito amigo meu. Hoje ele é médico e perdemos um pouco do contato. Ele contou para minha mãe que gostava de mim e a amizade começou a ir para o espaço aí. Não me sentia mais confortável em estar sempre com ele quando eu sabia que ele não queria ser só mais um amigo meu. O nosso afastamento deu chance para um outro amigo nosso da turma se declarar...para a minha mãe de novo. Não sei porque eles faziam isso. Eles queriam falar que gostavam de mim e procuravam a minha mãe. Pessoal, não ajudou em nada, só atrapalhou.

Eu já estive no outro lado também. Era amiga de um cara mas eu tinha uma paixão secreta por ele. Qualquer coisa era motivo pra gente conversar. Não deu certo, mas fiquei com ele. (por sinal é o mesmo fulano do primeiro beijo)

O cara que foi para a Austrália fazer MBA foi um caso de interesse das duas partes mas a coisa não andava. Quando andou, deu errado. Mas foi.

Daí teve o D., caso clássico da minha adolescência. Eu o considerava um grande amigo e ele se dizia muito apaixonado. Confesso que hoje, mais de dez anos depois do ocorrido, eu gostava do fato dele gostar de mim porque seria sempre uma possibilidade. A gente poderia ter ficado junto e tudo seria lindo se ele não tivesse....siiiim, contado para a minha mãe. Esse foi uma desgraça!! Ela era tão cabo eleitoral dele que acabou causando o efeito contrário. Sabe quando a gente ouve tanto falar de alguma coisa que pega “asco” dela? Foi isso que aconteceu. Ao invés de gostar, eu desgostei. Na minha formatura do colegial ele me pediu em namoro e a minha recusa foi o fim da amizade.

Vieram outros, com certeza. Gente que gostava de mim ou eu gostava da pessoa. Fato é que, realmente, não consegui ver uma amizade verdadeira entre um homem e eu. Quer dizer,tenho colegar homens mas amiiiiiiiiiigos, amiiiiiigos, não. Os amigos que eu tenho do sexo masculino são gays. Esses sim eu sei que não tem interesse nenhum em mim.

Quer dizer...podem ter... eu tenho uma bela coleção de sapatos...

2 comentários:

Amore Chocolateria - Mila Basilio disse...

Aahiushuiahsuiahs.. "Quer dizer...podem ter... eu tenho uma bela coleção de sapatos..."
Cho-rei! Aahuihauihaiuh..
Essa é uma ótima questão, penso nisso todos os dias. É bem complicado mesmo, MUITO complicado!
Vamos tentando né?! Auahsuiahsiuas..
Beijos e parabens pelo blog! :)

Mila

Flávia disse...

Hahahahahahahaha... O que sua mãe tem que todos contavam pra ela?? rsrs... Que coisa!
Muito boa historia!
Agora, acredito sim amizades entre homens e mulheres... Tenho amigos homens, e confesso que são mais sinceros que muitas amigas minhas. Pronto falei! (rs)