terça-feira, 14 de setembro de 2010

The show must go on...

Eu sempre gostei de escrever. Acho que quando escrevo, eu deixo os sentimentos fluírem, coloco as ideias no lugar e repenso o que acontece na minha vida. Quando eu criei este blog, queria que ele funcionasse como uma terapia solitária...eu coloco no papel virtual aquilo que eu sinto e depois leio. Com a vantagem de ter pessoas maravilhosas que comentam e me ajudam a pensar.

Hoje não foi um dia fácil. Estou escrevendo este post e já é meia noite, mas como eu não dormi ainda, resolvi considerar que meu dia não acabou. Vai acabar quando eu acabar este post e for deitar.

Num post anterior eu me perguntei como a Carrie deixou Mr.Big de lado e se aventurou em um romance com o Aidan. Disse ainda que eu não saberia. Mas hoje eu descobri. O Mr.Big falou para ela tocar a vida para frente...

Prometi a mim mesma, depois de todas as mensagens que mandei no celular do Mr.Right, que não falaria mais com ele pelo Skype por,pelo menos 48 horas. Até estava bem sucedida na missão. Saí do trabalho e peguei o ônibus até a minha aula. No meio do caminho meu telefone toca. Mr.Right aparece no visor, a mesma foto feliz de quando estávamos juntos. Desliguei. No mesmo instante, meu outro celular apita mensagem. Era o L, o rapaz de sábado. Mandei mensagem no celular do Mr.Right. Segue conversa:

“Você me ligou?” (Eu)
“O que acha?” (Ele)
“Que sim. O que houve?” (Eu)

Silêncio. Liguei para ele. A conversa foi pesada. Não brigamos e eu nem sei explicar o conteúdo todo. Mas, basicamente, ele pediu para que eu siga a minha vida. Disse que não pode me prometer o futuro porque a gente nunca sabe o que vai acontecer. Disse que não vai esquecer o que passamos, que foi intenso e que o sentimento foi diferente de tudo o que ele sentiu, mas que agora não pode sentir isso devido aos acontecimentos de um futuro próximo. Disse que não quer que eu me sinta mal e nem espere sentada a volta dele porque eu preciso levar a vida para frente, se tiver que nos reencontrarmos, isso vai acontecer. Ele disse que sabe me achar e que vai me procurar SE um dia o futuro casamento acabar. Eu não fiquei quieta. Disse que não vou esperar sentada, mas que não posso jogar pela janela uma história tão intensa. Eu disse que viveria e, se ele me procurar um dia, vamos ver no que vai dar. Comecei a ficar irritada porque eu não ouvia as palavras que queria e nem sabia interpretar direito o que ele me dizia. Homens quando querem sabem falar por interrogações.

Foi aí que soltei a bomba. “Eu não vou esperar sentada. A minha vida vai andar. Tanto que saí sábado e fiquei com uma pessoa. Não sei ainda o que eu acho disso, mas não me senti bem a princípio”. Foi assim que ele soube o que aconteceu. Combinamos de não nos falarmos mais pelo telefone e não nos deletarmos dos meios virtuais de comunicação, mas eu disse que não o procuraria mais. E fui dar aula. Achei que ele estivesse satisfeito. Pronto, se livrou de mim.

Mas... apita a mensagem... “Ficou com alguém mesmo no sábado ou falou para se defender?”. Pronto. Ele se sentiu incomodado e eu mais confusa ainda. O que essa mensagem queria dizer? Ciúme? Indignação? Orgulho ferido? Respondi: “Que diferença vai fazer para vc?” E ele: “Quinta disse que não sentia vontade de ficar com ninguém e no sábado diz que ficou! Já tenho a resposta que eu queria.”

Eu mandei várias mensagens ao mesmo tempo, assim: Qual resposta? Mudaria algo? Eu gosto de você? / Eu fiquei sim e me senti péssima. Tipo como se tivesse te traído. / Bebi, fiquei com um cara e pensei em você na hora e depois. / Mudaria algo se fosse só defesa?
Ele respondeu: Uma palavra sobre sábado. Libertação. Deu certinho com o que te pedi agora pouco. Espero que seja feliz e tenha aprendido alguma coisa.
Eu respondi e ele não escreveu mais. Não entendi o motivo dessas mensagens e queria entender. Mas acho que tão já ele não vai querer explicar.

Depois disso fiquei mal. Dei uma aula péssima pensando em tudo isso e saí pensando mais ainda. Tive um bom caminho pensando até chegar em casa e fui direto para o banho. Não chorei (muito). Apenas algumas lágrimas. E resolvi seguir a vida...

Se Deus quiser que a gente fique junto, não importa o estado civil dele, meu e do mundo...alguma coisa vai acontecer e a gente vai se reencontrar. Não adianta eu querer fazer parte da vida dele ou ele da minha porque isso agora é impossível. Não podemos ser amigos agora e não sei o que será mais tarde. O que eu sei é que não posso continuar querendo algo que – hoje – não vai acontecer. Não posso mais. Não tenho mais força, energia e – desculpem a expressão – saco para tudo isso.

Eu gosto do Mr.Right, meu coração é dele e ele sabe disso. Mas não posso deixar que meu coração domine a minha vida. Ele não está fazendo isso. Se estivesse fazendo, provavelmente hoje meu post seria de uma noite divertida que passamos juntos. Mas não. Ele está agindo com a cabeça e eu preciso começar a agir assim também. Vou fraquejar, vou chorar...mas sei que vocês que estão me lendo vão estar ao meu lado entendendo cada lágrima. Vou ser forte e participar da minha vida e não ficar sentada vendo ela passar.

Se o meu centro estiver certo, vamos nos reencontrar. Não vou forçar mais nada. Não vale a pena. Não porque o Mr.Right não valha a pena, mas porque a situação não será resolvida agora.

Peço a Deus que me ajude a viver...que me ajude a superar tudo isso. Entendi como Carrie esqueceu o Big e se entregou ao Aidan...ela descobriu que precisava viver...

5 comentários:

Diandra disse...

Então simbora viver, Tati!

Força!

Natalia Nadais disse...

Isso mesmo, como eu mesma te disse, vc pode aproveitar sua vida sem se amarrar a alguém, e o que é teu não vai ser de ninguém, pense que o que vc quer que seja pra vida inteira não precisa durar a vida toda.....

Claudia disse...

Ai Tati, vc me deixa deprê, não gosto de ver vc assim. Acho que não estou acostumada, quando nos conhecemos vc estava bem, vc sempre esteve, sempre foi forte. O pior é saber que não posso fazer nada para te ajudar. De qualquer forma, estou aqui. Te adoro. Bj.

Flávia disse...

Ai vao as minhas perguntinhas:

Vc se sujeitaria a ser a outra??? Ou nao entendi mto bem o que colocou no 10º paragrafo???
Não esta pensando mto no que ouviu no centro de que vão se reencontar e deixando de pensar no presente?

Nao precisa responder, so peço para rever seus conceitos...

Tati disse...

Flá,eu não me sujeitaria a ser a outra. Acho que vc entendeu mal o 10º parágrafo...hahahahaha
A outra não dá...