quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Tempo...




Quanto tempo precisamos para saber se aquela é a escolha certa, se aquele é o caminho certo, se aquela é a pessoa ideal? Um mês? Um ano? Dez anos?

Hoje é um dia especialmente complicadinho...há exatos seis meses entrou na minha vida o Mr.Right, assim, sem pedir licença. Em pouquíssimo tempo, conquistou meu coração de tal forma que não se explica, não se escreve, não se conta. Se sente. Incrivelmente, hoje eu não acordei triste como nos outros dois dias 23 anteriores. Hoje eu senti uma coisa gostosa...um sentimento bom que a gente sente quando encontra a pessoa que quer passar o resto da vida ao lado. Esquecendo todas as complicações, o sentimento é sempre bom!

Junto com todas essas reflexões, ontem à noite eu estava conversando com uma amiga muito querida, que tenho pouco contato, mas que eu gosto muito. Estávamos colocando as novidades em dia quanto eu pergunto “E aí, namorando?” e ela “Nem te conto...”. Segue o diálogo:

Tati – Namorando?
Amiga – Mais...
T – Noiva?
A – Mais...
T – CASADA???
A – Aham...não vai ter um treco!

Claro que eu tive um treco. Quando eu disse que não converso muito com ela, eu quis dizer que nos falamos tem pouco mais de dois meses. E,naquela época, casamento não passava pela cabeça dela. Em cinco minutos ela começou a se explicar: “Nos conhecemos por intermédio da minha prima, estamos juntos desde maio e depois que eu briguei com a minha mãe, resolvemos morar juntos”.

Façam as contas... maio, junho, julho, agosto e setembro. Cinco meses e ela se casou. Pergunto: tempo é realmente uma questão importante quando se trata de relacionamento? Precisamos nos reter àquelas convenções da sociedade que diz que precisamos namoraaaaaaar, depois noivaaaaaar e depois casar? Porque não pode ser namorar e casar, simples assim?

Muita gente me questiona sobre toda essa história do Mr.Right. Já ouvi de tudo. “Ah,mas foi tão pouco tempo de convivência” ou “Em metade do tempo que ficaram juntos, você vai ver, nem vai lembrar mais de nada disso” e ainda “Ai, que exagero esse chororô todo por causa de três meses...o que são três meses?”. Me questiono se essas pessoas todas já gostaram de alguém. Acho que não.

Sabem por quê? Porque quando se trata de amor, um dia pode valer por um ano...

4 comentários:

Atelier M. Azevedo disse...

Tatii, como vc sabe, eu tbm me casei com o Marcelo em pouco mais de 05 meses de namoro!! E seu pots disse tudo, sabe... quando se trata de sentimento, 01 dia vale por muuuitos anos, com certeza! Quem diz que o que você sente é exagero, com certeza nunca amou na vida.
Bjssssss

Isabela Bonfim disse...

Oi Tati (posso te chamar assim?), entrei no seu blog por meio do "Estrago comida pronta", já li quase todos os seus posts. Você escreve muuuito bem, uma delícia de ler. Me admira como vc consegue escrever quase todos os dias, haha.
Tb tenho um blog, fique a vontade para visitar.
Bom, sobre o que vc escreveu: acho que se o sentimento é verdadeiro não é o tempo que deve atrapalhar. Namorei cinco anos antes de casar, mas queria ter casado MUITO antes,já tinhamos certeza do nosso amor, mas ainda não éramos estáveis financeiramente. Aconteceu quando tinha que acontecer.
Beijos, Isabela

Leandro disse...

Tempo não faz a menos diferença nesse caso.
Talvez Carpe Diem sirva definitivamente nestes casos. Meio cliche.
Principalmente se formos pensar que existem paixões a primeira vista e breves amores de metrô.
Eu particularmente prefiro não pensar muito no assunto e viver feliz.
Algum dia Mr. Right estará bem ao meu lado e talvez minhas preocupações não me deixem percebê-lo, não?!

Flávia disse...

Concordo ate certo ponto. So que cada caso é um caso. Nao gosto de fazer o genero "Ai, espera que ele vai largar ela pra ficar com vc", so acho que tudo na vida nao acontece por acaso... (sem cabeça, estou com boas ideias mais sem criação... TPM... PERDOA-ME!! )