quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Cuidado: amor

Deveria existir uma vacina. Deveria haver um sinal, uma campainha, um sino...qualquer informação sonora que nos fizesse cair fora. Deveria...poderia...seria melhor. Mas não tem. Não temos remédio quando o assunto é amor. Não temos vacina nem antídoto. Não temos médico nem PhD especialista no assunto. Temos só a vida.

Acho que, se eu pudesse escolher, simplesmente não me apaixonaria. Pelo menos não sem antes ter a certeza de que aquela pessoa é a certa para mim. Sei que muitos de vocês vão me condenar, mas hoje eu questiono se vale à pena a gente se apaixonar por uma pessoa que não pode ser nossa. Para que alimentar um sentimento que não pode ser vivido? Pelo menos não por ora. E,pior, nós mesmos alimentamos esse sentimento porque, depois que a gente se apaixona e é correspondido, fica complicado – quase impossível – se “desapaixonar”.

Outubro está passando depressa. Não sei se isso é bom ou se é ruim. E minha agonia chega ao fim (ou será que só está começando?). Sei que meu caminho certo é me desapaixonar por Mr.Right. Ou pelo menos enterrar esse sentimento no meu coração até que – um dia – a gente esteja (ele, no caso) livre e desimpedido ou até que apareça outra pessoa que me faça esquecer dele. Não acho que o segundo caso vai acontecer. Tenho conversado com uma pessoa que diz que o passado sempre volta, em cada nova pessoa que a gente conhece. E se for mesmo amor o que sentimos por esse passado, nunca viveremos um presente pleno.

Confesso que tenho medo do meu futuro. Tenho medo de que as coisas não aconteçam como eu acho que vão acontecer. Tenho medo que Mr.Right se esqueça de mim, de nós...medo de que ele escolha o caminho “mais fácil” que é viver deixando a maré o levar...e que essa maré não o traga de volta pra mim.

Por isso hoje eu digo que escolheria não me apaixonar. Ou melhor, escolheria me apaixonar por ele quando pudéssemos viver esse sentimento. Por outro lado, penso que se não fosse assim, não teríamos certeza (eu tenho, não sei se ele tem) desse sentimento e da força dessa história. Ele não me falou e ele não vai me falar...não nessa altura do campeonato.

Mas...enfim...vamos esperando...chorando...rindo...vivendo...amando, sempre.

6 comentários:

Nathalie disse...

"Confesso que tenho medo do meu futuro. Tenho medo de que as coisas não aconteçam como eu acho que vão acontecer. Tenho medo que Mr.Right se esqueça de mim, de nós...medo de que ele escolha o caminho “mais fácil” que é viver deixando a maré o levar...e que essa maré não o traga de volta pra mim."

Acho que as coisas nunca acontecem como a gente espera que aconteçam. Com certeza, você não esperava se apaixonar por um cara a dois passos do altar. Com certeza você não espera os acontecimentos do ano que vem, do próximo... Há uma grande distância entre o que se espera e o que chega pra gente, mas como você mesma viu, as vezes as coisas que nos chegam inesperadamente são as melhores, as que nos fazem mais felizes, as que nos ensinam a ser melhores.
O medo é um instinto normal, mas olhar mais adiante desse medo, pra tudo de bom que pode vir na sua direção é o que vale, o que deixa a vida mais feliz e mais bonita.
Esse momento vai passar Tati, e vc vai ser grata por ter passado por ele, tenho certeza!
Um beijãooo e conte comigo sempre!

Anônimo disse...

lady gaga passou por aqui...e ficou feliz em saber q vc esta aberta a novas opçoes...msm q seja dificil de ocorrer! =D

Accácia disse...

Acho que vc tem que acreditar que um dia vai encontrar a pessoa certa!
Esqueça essa cilada do Mr.Right e siga sua vida!
Ele está seguindo a dele,e vc esta parada marcando touca!
Até qd,Tati?
A vida é linda e talvez por olhar apenas para o chão está perdendo oportunidades de olhar pro céu e descobrir que alguém pode estar esperando apenas esse seu olhar desviar do chão para encontrar seus olhos!
Pense nisso!
Boa sorte!
Accácia

Lucia disse...

Cultive flores em seu jardim enquanto o dia que você espera chegar não chega. Reze também.

disse...

Amiga querida...
Creio que nesse momento você não veja uma "luz no fim do túnel"...
Isso já aconteceu comigo e também achei que nunca irira passar e que eu nunca iria encontrar outra pessoa e que meus sonhos nunca iriam se realizar.
Comecei a namorar meu noivo (em abril, marido, please) com a sua idade (28 anos). Já achava que "tudo estava perdido" e que eu iria ficar "pra titia". Que ninguém nunca iria me amar e que meu destino era ser uma solteirona com a casa cheia de cachorros...
Mas aconteceu: quando e com quem eu menos esperava!
Então, amiga... há solução para tudo!! Nós só não damos jeito para a morte!!!
Siga em frente; se ame acima de tudo!!!
Logo logo algo de novo acontece!!!!
Bjoooooooooooooo!!!
Saudadeeeeee...

Flávia disse...

Como podemos saber se um amor, paixão, sentimento por alguem vai dar certo se nao tentarmos???? Nao podemos ter medo de nos apaixonar NUNCA! Quer sentimento mais gostoso do que esse. Nao existe! Aquele frio na barriga, boca seca, mãos suando, rosto corado mesmo sem saber se ele(a) é a pessoa certa... É muito gostos. Confesso nao sentir isso a algum tempo. Mas por enquanto acho otimo nao sentir, nao estou com cabeça pra isso... mas isso ja é outro assunto.... rsrsrs... Que ate poderia ser abordado aqui Tati... Pense nisso...