quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Humpf!

Vou confessar uma coisa nada bonita: eu sou uma pessoa que, vez ou outra, inveja os outros. Tenho inveja (boa, mas inveja) da Helena Bordon porque ela é filha da Donata Meirelles e, bom, eu adoro a Donata. Tenho inveja de quem come, come, come e não engorda. Tenho inveja de quem ganha milhaaaaaaaares de dólares com o trabalho e ainda ama o que faz (eu amo o que eu faço, mas estou longe de ganhar grandes cifras). Enfim...a gente sempre tem inveja de algo ou de alguém. A inveja não é ruim quando ela não te faz desejar o mal da pessoa. Por exemplo: eu invejo a Helena Bordon, mas nem de perto quero que algo ruim aconteça com ela. Primeiro porque nem a conheço e segundo, a invejinha que tenho dela é aquela que me faz querer fazer de tudo para ser tão bem-sucedida como ela. Tenho (essa eu tenho mesmo) inveja da Natasha porque ela vai se casar com Mr.Right. Mas, apesar de tudo, não quero o mal dela. Pelo contrário...quero que ela se apaixone por outro e seja feliz. Aliás, pensando bem, no momento que escrevo esse post... não deveria ter inveja dela...ela vai se casar, mas é meu o coração de Mr.Right. Enfim...não vou entrar nesse mérito no post. Penso que esse sentimento – a inveja – pode ter dois papéis opostos na vida: ou ele nos impulsiona para frente (meu caso com a Helena Bordon) ou nos deixa estagnados. Muitas vezes a gente se prende na própria inveja e esquece de viver. E aí é que inveja e frustração caminham juntas, de mãos dadas.

Tenho lido vários blogs, sobre vários assuntos e muita gente está comentando os meus posts. Adoro. Adoro ler cada comentário... as opiniões sobre as histórias que posto são sempre curiosas. Muitos comentários sobre a minha história não vão de acordo com o que eu acho e é aí que eu adoro mais ainda o que vocês escrevem. Meu intuito não foi escrever a minha e tantas outras histórias para que todo mundo passasse a mão na minha cabeça; eu queria mesmo ouvir o que todo mundo pensa, acha, sente, torce. E acabei ganhando amigas, amigos, “fama” (essa parte é super brincadeira) e uma nova distração. Me divirto chegando em casa e lendo tudo aquilo que vocês escrevem. Mesmo que, alguns comentários sejam “cruéis”. Acho que isso é o que me faz querer seguir com o blog. Saber que tem gente que separa um tempo do dia para ler...e, mais do que tudo isso, ainda divulga. Mais uma vez, obrigada pelas 10.000 visitas em dois meses e cinco dias de blog.

Enfim...voltando ao assunto inicial. Alguns comentários falam sobre histórias parecidas com a minha. Alguns aconselham a seguir em frente com Mr.Right, outras dizem que deveria deixar para lá, outras pedem que eu vá em frente porque não tiveram essa coragem e esperam que eu tenha. Acho lindo. Todos. Dos que me apóiam aos que tentam me fazer deixar para lá. Uma dessas pessoas me disse uma vez que passou por uma situação semelhante. “Esperar” por alguém que nunca veio. E essa pessoa me pede sempre que eu desista do Mr.Right porque ele não me quer e não vai voltar. Respeito a opinião dessa pessoa e fico triste que, com ela, a história não tenha tido um final feliz. Infelizmente não a conheço pessoalmente (a graça na internet está em conhecer muita gente que não conheceríamos nunca), mas adoraria saber a história de vida dela. Porque, de verdade, penso que muitas vezes ela me fala para desistir por conta de uma frustração da vida dela. Me fiz entender? Não sei. Explico... o fato do cara que ela amou e esperou não ter voltado, não faz com que a minha – e tantas outras histórias parecidas – tenham o mesmo final. Talvez essa pessoa não queira tanto me ajudar, mas me fazer ter o mesmo final que ela. Não sei.

Acho curioso, e agora não falo desta ou de qualquer pessoa específica, como o ser humano se porta diante de suas frustrações. Não aceitamos. Podemos ignorar, fingir que nada aconteceu...mas não aceitamos. Não aceitei o fato de não ter tido a casa da Barbie, não aceitei o fato de que eu não sei matemática e todo mundo que eu conheço sabe...talvez isso faça com que eu tente que a minha filha tenha tudo o que eu não tive. (Não pensem que não sou feliz com tudo o que tive...eu sou e muito...mas quero que ela tenha coisas que eu não tive e passe por coisas legais que eu não passei). E entendo que seja completamente natural querer que nossos filhos tenham o que não tivemos...e que outras pessoas (que não sejam nossos filhos) NÃO tenham o que NÃO tivemos.

Enfim...este post não é uma crítica aos comentários contrários ao meu pensamento. É completamente o contrário. Quero continuar recebendo porque, a partir do momento que todo mundo concordar comigo, vou saber que tem gente que não está sendo verdadeira. E quero neste espaço a verdade, sempre. Porque é assim que eu sou com vocês... 100% eu mesma e 100% verdadeira...

7 comentários:

Tati disse...

OI querida xará! acho que a sinceridade é o melhor caminho para ter grandes amizades! Adorei seu post! e essa invejinha "branca" todo mundo tem de alguem, isso é normal....e isso é bom, pois como vc disse não nos deixa estagnados, sempre buscando algo melhor!!!
Um beijo grande queridona

Tati

Isabela Bonfim disse...

Tati, só hoje consegui me atualizar, li todos os posts, hihi. Acho que independente de "torcer" contra ou a favor o importante é que vc seja feliz, com ou sem sem Mr. Right.

Isabela Bonfim disse...

Ah, preciso perguntar: por acaso vc estava no Center 3 da Paulista sexta a noite? Vi uma moça que achei que fosse vc, mas não tive coragem de perguntar, hihihi...

Claudia disse...

Pois é menina, dias difíceis virão. Mas aguente forte ai, como já te disse, depois desses dias difíceis, dias melhores também virão.

Afrodite disse...

Oi Tati,
Imagino que seja direcionada a mim esse seu post.
Sobre o que tentei até então te dizer e alertar foi sobre o fato de vc querer se iludir com alguém que ESTA com outra e pretende se casar com essa mesma pessoa.
Não pense que porque minha história com meu ex não deu certo,desejo que a sua tenha o mesmo final.
O que desde o início tive o intuito de te alertar foi quanto ao fato que quando um homem QUER ele CORRE ATRÁS.O que não parece ser o seu caso.
Sobre me conhecer,meu blog esta aí,basta vc acessar e ler todas as minhas postagens.
Lá vc encontrará minha vida inteira:tanto as coisas boas quanto as ruins que me aconteceram.
Não sou nova em blogs.
Escrevo há dois anos e quatro meses.
Vim aqui em outro blog,recente,onde mostro o rosto por contar histórias menos 'ousadas' e abordar assuntos menos polêmicos.
Achei que vc precisa de ajuda mas vejo que me enganei.
Por acaso já viu o filme'ELE NÃO ESTÁ TÃO A FIM DE VOCÊ'?nÃO?!
Então pega e vê...quem sabe assim caia a ficha sobre um homem DESEJAR estar com uma mulher.
Hoje encontrei um AMOR DE VERDADE.Alguém que me ama e retribui o mesmo que sinto.
Amar sozinha é ruim.Vazio.
E se iludir é ainda pior.
Mas tenho certeza que um dia vc irá crescer e descobrir isso.
Te desejo toda sorte do mundo e não pretendo participar mais daqui.
Amigos,virtuais ou não,quando desejam nossa felicidade falam a verdade.
Não incentivam delírios.
O que vc quer é platéia para esse seu teatro com o príncipe de OUTRA princesa.
Como CASADA que sou não posso compactuar com isso.
É muito feio isso que vc faz.Desejar que ela seja infeliz com quem a escolheu para ser o par.
Se fosse contigo,ia gostar que acontecesse o mesmo?
Tenho certeza que não!
Lembre tb que vc tem UMA FILHA,e que ela um dia ,mais pra frente irá cobrar algumas atitudes suas.
E qual o exemplo que dará?
Um destruidora de lares?
Ser amante é uma coisa.
Querer destruir uma família é outra.
Até para ser a outra é preciso vocação.
E isso,eu já percebi,vc não tem nenhuma!
Que vc seja feliz sem destruir a felicidade de ninguém.

Afrodite/Accácia

http://confissoesdeamante.blogspot.com/

http://avidasecretadeaccacia.blogspot.com/

Marcella disse...

TATIII... EU TB NÃO SEI MATEMÁÁÁÁTICAAAA!!!! E MINHA IRMÃ SABE E MUUUITTTOOO!!!!
Sorte e força amiga!
bjo me liga

Flávia disse...

Eu espero que você esteja crescendo com esse blog. Por que vou confessar ele esta me fazendo muito bem. Me faz pensar de uma forma diferente sobre as minhas proprias opiniões. Se é que me entende.

Tati desde quando te conheci me apaixonei por você. No pouco tempo que convivemos pude conhecer a pessoa maravilhosa que é. Lembro na gente na cantina do CNA, sempre comendo claro (rs), e você sempre contando sobre você. Sobre sua familia. Me lembro uma vez, na sala mesmo, que vc contou um casa que aconteceu quando você era novinha ainda. Que sua mãe era também sua professora e vc tinha que estudar mais por ser filha da professora. Nunca me esqueço da forma que contou. Ri muito e contava a todos. rsrs...
Obrigada por me ajudar. rs...
E pode esquecer se vou deixar de comentar minhas loucuras. Seu papai que me desculpe. Sou doidinha mesmo. hauhauhauhuah... (amiga papai, amiga...)