quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Quero uma revista para mim!!

Quando eu tinha 13,14 anos eu ganhei de presente de aniversário uma assinatura da revista Querida. As meninas mais novas não terão noção de qual revista é essa, mas ela existiu. Era, sei lá, uma Capricho piorada. Eu gostava da Capricho, mas a minha mãe assinou a Querida por um motivo que eu não posso explicar a vocês.

Enfim...a revista era para o público adolescente. Tinha dicas de moda, beleza, relacionamentos (nem preciso dizer que, caipira do jeito que eu era, essa era a parte que eu menos lia...). Daí eu fui crescendo e aposentei a Querida. Meu negócio era a Capricho mesmo. Confesso que ate hoje eu dou uma folheada nas revistas das minhas irmãs e acho divertidíssimo; a abordagem da revista mudou radicalmente nos últimos dez anos.

Hoje eu tenho 27 anos...mais três e serão 30! As opções que me restam são, principalmente, Nova e Claudia. E no fim das contas, não me resta nenhuma. Explico: a revista Claudia foi feita para a mulher que é casada, tem filhos e precisa ser mãe, trabalhadora, esposa e tudo mais. Eu não sou casada...sou mãe e trabalho. Mas, cá entre nós, acho que a Claudia é meio revista de velha. Sei lá...parece uma versão moderna daquelas revistas das nossas avós.

Aí vem a Nova...qual é a mulher de Nova? Solteira, sem filhos, independente...que vai à caça. Não sou dessas... eu não quero estar à caça. Não quero transar por uma noite e achar que sexo casual é a modernidade do século XXI. Não quero saber “como conquistar o gatinho da academia” porque não é ele o perfil de homem que eu procuro. A mulher de Nova – e olha que eu leio a revista – é “inconscientemente” galinha. Ou quer ser. A de Claudia é a matrona que tenta ser moderna.

Para mim a revista ideal seria uma mistura das duas...um guia mensal de como vencer no mundo moderno sendo mulher. Independente de ter ou não filhos, de ser ou não casada. Não quero ser rotulada por um título ou outro de revista. Entendam.... gosto das leituras femininas, mas acho que elas estão “nixando” (inventei a palavra...) as mulheres em grupos que são muito distintos. E eu, que estou no meio, como fico?? Sou mulher, solteira, com filha e trabalhadora. Não quero ser “do lar” e não quero ser “devoradora de homens”. Como eu fico, mundo editorial? Abandonada??

Atenção editoras: quero uma revista para chamar de minha. Posso ser colunista se quiserem....

5 comentários:

Nathalie disse...

Gosto da Elle... e agora tem uma chamada Lola, não li, mas sei lá né...tenta, vai que é boa...rs

Débora disse...

A Nova é a revista mais engraçada do mundo! As vezes me dá vergonha alheia... mas eu dou mta risada pq a mulher de Nova é simplesmente irreal - ela trabalha, ganha bem, compra roupa caras, vai pra balada e é uma deusa do sexo. Tudo ao mesmo tempo!

É uma obra de ficção!
Fora aquela sessão de contos eróticos, que é qualquer coisa de chorar... de rir!

Bjinho, Tati - seu blog é mto legal (eu sou a Débora, amiga e ex-companheira de apê da Ana Genaro)

Ana Paula disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA Débs, eu sabia que vc iria comentar aqui!
é de chorar de rir mesmo Tati. Eu e a Débora já tivemos essa conversa. A mulher Nova é .. ridícula! Mas tb me mata de rir. O segredo é ler, mas nunca levar à sério.

Bjos!

Dani disse...

Ai Tatiii.

Lendo seu post sobre revistas femininas, me lembrei do meu ex... Ele não gostava de nenhuma delas. Na verdade ele dizia que essas revistas incentivavam a mulher a trair seus homens. hahahahaha É por isso que eu fico feliz por tudo que planejamos não ter dado certo. :-)

Bjo.

Flávia disse...

Hahahahaha... Nao tinha visto a Nova desta forma, me identifiquei mais ainda com ela... hahahahaha... Vou voltar a seguir fielmente! rsrs...
Acho uma boa ideia essa sua... Pode mexer uns pauzinhos com alguma editora para quem sabe conseguir. Afinal como esta no meio ja fica um pouco mais facil. Se quizer posso ajudar no que precisar... rsrsr...

E todas juntas:
"MULHERES UNIDAS JA MAIS SERAM VENCIDAS..."
hahahahaha...