sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O fator etílico...

Um amigo meu de looooonga data (acho que mais de dez anos) costuma dizer que a sua inibição é menor quanto maior é o nível de álcool no seu sangue. Não tem nada que seja mais verdadeiro do que isso. A bebida que você toma te despe não só do glamour da sua noite, mas de todos (ou quase todos) os seus pudores.

Eu sou uma pessoa fácil de se embebedar. Dependendo do dia, dois coquetéis são suficientes para que eu não consiga lembrar o caminho da minha casa. Sério. Não bebo muito,mas sou fraca para álcool. E isso já resultou em grandes desgraças...

Quarta-feira fui com uma amiga a um karaokê. Gostoso demais. Ambiente super bacana e muita empresa em confraternização. Em tempo: lá NÃO é lugar de agarrar um marido, principalmente porque está todo mundo na cantoria e,bem,a não se que você arrase no microfone, você começa o romance pagando mico. Enfim: quatro Sex on the Beach depois e eu não me lembro como eu coloquei o pijama e fui para a cama. Milagrosamente não passei mal,coisa que odeio. Mas lembrei de passagens da minha vida que, acho eu, muita gente nem sonha (oi pai, oi mãe), mas que aconteceram.

Meu primeiro grande porre, com mais de 20 anos de idade, foi desesperador. Eu tomei toda e qualquer bebida que tinha álcool no bar, incentivada por duas loucas amigas minhas. O resultado? Fui carregada por elas até o carro, fui carregada pelo porteiro até a casa delas, vomitei toda água que eu tinha no corpo (e a que eu não tinha também) e caí. O dia seguinte foi mais desesperador ainda: dor de cabeça, enjôo e uma ressaca moral de matar a Odete Roitman sem a Cássia Kiss!

Mas, como boa caipira de Vinhedo que eu sou (e me orgulho), nunca tive um porre de fazer uma besteira enooooooorme. Conheço gente que já fez: acordou ao lado de uma desconhecida (tinha que ser homem a pessoa...), beijou vários e depois se arrependeu, tirou a roupa no meio da balada e por aí vai.

O fator etílico. Ele comanda a nossa falta de pudores e valores quando estamos com álcool no sangue. E aí paro para pensar: será que todas essas loucuras que fazemos quando estamos bêbados nada mais são do que desejos do nosso incosciente? Desejo de tentar o novo, de desafiar a você mesmo, desejo por uma pessoa que você não tem coragem de dizer, desejo...puro e simples.

Não sei...o que eu posso dizer é que, graças a Deus, meu fator etílico nunca me fez fazer nada que eu não faria se estivesse sóbria. Só vomitar.

5 comentários:

Isabela Bonfim disse...

Bom, eu não tenho nenhuma história pra contar, fico zonza com um copo de vinho e nunca passei disso, hehe. Eu não sei se as loucuras que as pessoas fazem são os desejos do inconsciente, acho que não. Deve ser o alcool falando mesmo.
Ando meio sumida, estou numa correria eterna agora. Mas sempre dou uma passada aqui, mesmo que não deixe comentários. Beijosss...

http://ourdreambox.blogspot.com

Carolina Cunha disse...

Tati, Que loucura!! Eu também sou fraca pra beber, mas depois de muitas noitadas fquei forte!! Isso péssimo! Ai parei de beber uns 3 meses e voltei a ser fraca, ufa!! iuahiuahiauh Já fiquei bem louca em festas, mas graças a Deus nunca fui carregada, quando eu vejo que a situação complicou eu começo a beber água e se der, eu volto a beber de novo!rs Mas sério, toda festa fica bem mais interessante depois de uma bebidinha, não tem como negar!

Claudia disse...

Epa, Tati, já postagem assim antes, hahahaha. Gostei.

Maria Julia Faria disse...

Tatiiiiiiiii
eu já tomei alguns porres feios de passar mal no meio da rua!!! Mas é péssimo, por isso eu procuro me controlar, o bom é ficar alegre, passar mal é uóóó e o pior é a ressaca do dia seguinte!!!Mas nunca fiz nenhum loucura qnd estava bebada não... eu acho hahaha

Beijosssss

Flávia Lourenço disse...

Nossa... nem me lembre... Confesso vai, aconteceu sexta-feira... Foi comemorar, mais uma vez, meu niver num barzinho com amigos e pronto... fiquei daquele jeito... Quando ler meu email contatndo minha historia vai entender. A unica coisa que posso adiantar é que fui fazer prova mals... Quase vomitei na sala... ECA!

Bjossss