terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O que será que será?

Este pode ser um post polêmico entre uma pessoa (que não é Mr.Right) e eu. Talvez ele me xingue ou talvez ele me agradeça pela sinceridade tardia. Eu conto depois o resultado de tudo isso. Já aviso que posso dar uma distorcida nos fatos relativos às datas para não comprometer ninguém. Vocês sabem que a exposição é somente minha e daqueles que me autorizam a tal.

Desde que eu tive a Maria Eduarda trabalhei em três agências de comunicação. Duas delas foram no período pós-parto (que para mim foi até um ano e meio dela...) e a outra é a que eu estou agora. Numa dessas agências (que eu não vou dizer qual) eu reparei em uma pessoa logo no começo do trabalho. Não conversávamos demais, mas almoçávamos algumas vezes juntos. Acho que trocamos ideias mesmo quando a minha filha nos visitava, vez ou outra e sempre levada pelo pai dela (isso antes de terminarmos). Ou seja a nossa comunicação se resumia a pedir para arrumar a impressora, exibir a Maria Eduarda e compartilhar os amigos em almoços esporádicos. Nada além disso. Dos poucos homens que existiam no escritório, ele me chamou a atenção por algum motivo que não sei explicar.

Um dia, conversando com uma amiga que também trabalhava lá, o nome do moço surgiu na conversa. As referências, preciso dizer, não foram as melhores: ele vivia em um relacionamento iô-iô com uma fulana que morava perto de onde Judas perdeu as botas e, para completar, uma outra amiga nossa era apaixonadíssima por ele. Parte daquela época eu ainda vivia com o pai da Madu então, apesar de ter interagido na conversa, aquelas informações eram tão interessantes quanto pastéis de alface.

Tempos depois eu terminei com o pai da Madu e passamos a conversar um pouco mais: além da ajuda com a impressora, trocávamos eventuais “bom dia”s na parte da manhã. Um dia ele pediu meu MSN e um tempo depois eu troquei de emprego. Fato é que durante esse tempo que se passou e até hoje, continuamos conversando pela internet e pelo celular. Uma relação virtual e semi-real difícil de ser explicada. Acho que, vez ou outra, ele me acha um tanto quanto lunática. Outras vezes, me acha fútil. Outras diz que eu sou muito legal. Eu, simpática que só, respondo apenas HAHAHAHA. Geralmente eu faço isso quando não sei o que dizer. (Embora, ultimamente, conforme posts anteriores, eu tenha usado a expressão SEI LÁ para quando não tenho nada inteligente para falar)

Não sei se ele sabe, mas muitas das coisas que ele me disse e eu discordei dele, me fizeram pensar. Muitas. Ele é uma pessoa sensata. É mais velha que eu (calma, não estou te chamando de tiozão) e acho que fala coisas que são igualmente mais inteligentes do que as que eu digo. Acima de tudo isso, é uma pessoa que nunca me julgou quando abri meu coração e contei sobre Mr.Right. Nem quando falei do cara da balada. Nem quando contei sobre o cara do bar. No máximo ele diz: Caramba, o cara solta uma frase idiota dessa e você sai com ele. Eu te chamo para jantar e você não aceita. E ri. Ri despretensiosamente e pergunta o que ele precisava ter feito para ter saído comigo há agum tempo atrás, antes até da minha confusão amorosa. E eu?

Bom, eu já dei mil respostas que eu mesma – muitas vezes – não entendi direito. Dei argumentos tão fortes quanto uma criança de 2 meses de idade. Já falei que não sairíamos porque estava chovendo, porque estava sol, porque eu estava com o cabelo oleoso, porque eu estava com sapato colorido...todas as desculpas esfarrapadas mais idiotas do mundo. Já o chamei de fácil demais, disponível demais e já tomei na fuça: ele já devolveu isso mostrando coisas que fiz e escrevi no blog e ele leu.

Confesso que não entendo a nossa relação...ele não é meu amigo, mas é meu amigo. É uma das pessoas que mando mensagem quando estou triste, quando estou feliz, quando quero contar que comprei um gloss da Kiehl's e me arrependi dois minutos depois. É uma pessoa que quero falar, mas ao mesmo tempo não quero falar. Alguém que tenho curiosidade de encontrar, mas não quero encontrar. Talvez por medo do que possa acontecer. Talvez por medo de decepcionar o cara, já que ele tem uma imagem de mim que não sei se é a real. Talvez por...sei lá. Tem muito talvez.

Fato é que combinamos umas trezentas vezes de nos encontrarmos e nunca dá certo. Já combinamos almoço em um dia de sol e, no dia do almoço, chuva torrencial. Já marquei de vê-lo em um bar e ele ardeu em febre e ficou doente. Já marcamos de ir ao shopping e ele teve trabalho.

E aí, eis que penso: o que será que será?

10 comentários:

Sara disse...

Perguntas: Ele ainda está do relacionamento iô iô? Ele é casado ou tem namorada?

Sara disse...

Quanto aos desencontros.... Mistérios do destino né... "existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia"

Claudia disse...

Olha essa Sara monopolizando os comentários, rs. Vou ligar o módulo Tati quando não sabe o que dizer: sei lá. Bjs, queridas.

Maria Julia Faria disse...

que engraçado, qnd falamos no msn a frase que vc mais fala é hahahahah!!! agora descobri o porque! hahahaha bom mas falando sério, tá aí a oportunidade de encontrar uma pessoa legal no local mais inesperado...ele te conheçe, vc tbm...vamos dar uma chance?! Será?!

Beijossssss

Eu, o ΞĐU disse...

Mulher... sossega o facho! Tira umas férias desta busca, pois tu estás pirando! Fica sozinha um bom tempo e reavalie suas escolhas.
Este é meu presente de Natal a você... CALMAAA... Beijos do EDU

analice disse...

OLHA, verdadeiramente, vc deve ter motivos internos para nao ter ido a frente?! observe nos sinais... nada simplesmente acontece por acaso, e vc bem sabe disso, amiga...
mas acredito que vc pode ser uma chance e ir vivendo,,, mas apenas vc poderá decidir isso ...
um abraço e uma boa tarde!!!

Paula disse...

Concordo com a analice...
Talvez seja só uma boa alma, um cara legal pra vc trocar idéias... só isso... será? rsrsrs...

Afrodite disse...

Olha aí o que eu te disse???
Hã?
E sem desconfiar dele,hein?
Poucas vezes me engano,Tati...mas se fosse vc arriscava!
O máximo que vc descobre é que ele é um bom amigo!
mas se for mais que isso,será a sorte grande!
Tenta!Não vai custar nada e as surpresas serão melhores ainda do que vc imagina!
Afrodite

Afrodite disse...

* O mínimo,não o máximo!
kkkk...

Flávia Lourenço disse...

Puts, ja passei por isso. Na vdd passo. So nos encontramos por acaso. Quando ele vai vizitar um amigo e eu vou vizitar a irma de amigo dele. Que é meu amigo tbm...rs... Sei lá... Acho que nao é pra ser. Se for o tempo vai dizer. Quem sabe nao é hora de ficarem juntos e o cara la de cima ainda esta nos fazendo viver mais algumas coisas antes de nos unirmos, o que acha? rsrs...