segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O risco em correr riscos

Quando nascemos, nasce também uma vida cheia de oportunidades. E nessa, nascem também os nossos SIMs. Isso porque o NÃO nós já temos e cabe a cada um de nós avaliar os riscos que corremos por cada uma de nossas escolhas. A nossa vida é fruto de tudo aquilo que escolhemos viver ou deixar passar. E o que escolhemos decide ou modifica aquilo que havíamos planejado para o nosso futuro. Podemos dizer,portanto, que somos fruto daquilo que escolhemos para nossas vidas.

"A gente colhe o que a gente planta" ou "Aqui se faz e aqui se paga" são apenas dois dos tantos ditos populares que falam sobre escolhas e caminhos trilhados. Frases clichês? Não, crueis verdades. Somos resultado de nossas decisões. E qual é o valor que se paga em correr riscos? Depende.

2010 foi um ano que paguei preços por todas as minhas escolhas. Não sei avaliar se paguei alto ou não por cada uma delas, mas sei que não me arrependo de algumas e gostaria de repensar outras. Escolhi viver uma história de amor complicada e pago um preço por isso até hoje: meu coração está entregue a uma pessoa que não pode ser minha. Preço alto? Altíssimo. Complicado? Complicadíssimo. Me arrependo? Nadinha. Prefiro poder falar que vivi com alguém um amor especial a ter passado sem esse sentimento na vida. Depois disso vivi uma fase de não estar muito aí com o fubá e saí com pessoas que jamais sairia, beijei caras que não tinham nada a ver e não me arrependo. Paguei um preço por isso, mas não foi alto o suficiente para me arrepender. Me arrependo de ter ido com muito desespero ao pote com o cara do bar e dancei bonito por isso. Aí veio o amigo. Esse eu ainda não posso avaliar muito, visto que as coisas estão meio escuras. Ficamos depois de alguns anos de amizade e não sei aonde a coisa vai levar. Não é, como sempre, uma história simples (embora beeeeeeem mais fácil do que Mr.Right)mas se arriscarmos, pode ser alguma coisa. O quê? Não sei. Precisamos ver quais os riscos corremos e se queremos correr tais riscos.

Qual é o risco em correr riscos? Qual é o risco em NÃO corrê-los? Não sei...cada um precisa avaliar por si só. Sempre lembrando que estamos na Terra para uma única coisa: VIVER.

6 comentários:

Viviane Tassi Brabos disse...

E viver intensamente, e sem correr riscos será que essa intensidade seria possível?
O que é a vida senão arriscar iniciar uma amizade, arriscar seguir um caminho que escolhemos pra nós, e se tudo não der certo, ainda podemos correr riscos por outros lados, por outras vertentes.
Acho que a vida está diretamente ligada ao fato de correr riscos, e pagar os preços por isso é só uma consequência do tipo ação - reação.

Dani disse...

Quando eu acordo pensando na pessoa, costumo arriscar tudo.

Tati disse...

Acho melhor arriscar e se arrepender, do que nunca arriscar nada e viver frustado.

Beijokaaaas amigaaaaaa, ta chegando dia 30!!!

Tati

Thacia disse...

Ai menina, é como já foi dito aqui e repetindo o velho clichê: antes se arrepender de algo que fez do que se do que poderia ser feito. Mesmo porque, se você voltasse no tempo, teria feito tudo de novo...

Beijo beijo beijo, felicíssimo 2011!!

analice disse...

ola... como andam as coisas,.... boa festas... é uma verdade precisamos de coragem para viver... obrigada pela visita

Flávia Lourenço disse...

Email! Corre la...