quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

#TT: Traição e Tesão

Espero que ela não fique brava, mas se ficar eu apago este post. Tenho uma leitora que tem um blog. Não vou linkar aqui, se ela quiser, pode colocar nos comentários. A conheci pelo blog e tivemos momentos interessantes de conversa. Eu a admiro pela coragem de se abrir diante de uma situação delicadíssima.

Não a conheço pessoalmente, mas posso compartilhar com vocês o que sei sobre ela: ela tem 36 anos, dois filhos (acho eu) e é casada há um ano com um cara que, segundo ela, é uma ótima pessoa. E o que eu mais admiro nela é a sua franqueza e sinceridade. Isso já nos afastou, nos aproximou, nos fez discutir e hoje nos faz ser amigas virtuais em fase inicial. Vou chamar essa pessoa de Ana.

Ana, como disse, é casada há um ano. Senhora de si e dona de uma personalidade ímpar, Ana é contra traição. Mas o conceito de traição,pelo que entendi, se difere dos nossos. Não sei explicar direito e esse nem é o tópico do post. Prefiro não correr o risco de distorcer as palavras dela. O que me interessa nessa história é que Ana ama o marido. Mas sente tesão por um cara que, aparentemente, sente o mesmo por ela. Em seu blog, Ana tem dividido esses conflitos com uma maturidade e sapiência que eu jamais teria.

Esse “affair” está acontecendo e o marido sabe de tudo. Não. Ana não transou com o cara do tesão. Ana conversou com o marido, que anda relutante em aceitar a visão que ela tem: amor e tesão não andam juntos. Quer dizer, podem andar juntos, mas também podem andar separados. Análise minha: ela sabe pensar como a maioria dos homens.

Ana me colocou para pensar. Como podemos separar amor de tesão? Será que a minha criação caipira me fez não aprender essa lado da vida? Não consigo ir para a cama com alguém que não me envolvo emocionalmente apenas pela pele. Quer dizer, fiz isso uma vez e me senti um lixo depois. Não. Não condeno quem faça. Admiro. Sério. Eu queria poder ceder aos desejos sem me sentir mal depois. Acho que somos modernas e livres para fazer o que quiseremos, sem julgamentos. Mas eu vivo do meu próprio julgamento...

Não sei o fim da história de Ana. Nem sei se terá fim. Mas é fato...a pior traição é aquela que acontece da gente para a gente.

11 comentários:

Claudia disse...

Olha, acho que como foi dito, amor é uma coisa e tesão é outra e assim como podem andar juntos também podem andar separados. Eu seria a pior idiota do mundo se não achasse que meu marido não sente tesão por ninguém mais. E eu sinto tesão por outras pessoas. Isso não tem nada a ver com o quanto a gente se ama. Eu morreria pelo meu marido e sei que ele morreria por mim. Nunca o trairia e acho que a recíproca, pelas mil conversas que já tivemos, é verdadeira.
Agora, olhar para alguém com desejo não tem nada demais. Acho ridículo essa história de que a pior traição é a da mente. Seria como negar a natureza humana. O que nos difere de animais é que mesmo sentindo tesão por outra pessoa, podemos escolher não agir, por mil motivos: magoaria nosso amor, acabaria com a confiança entre nós..e convenhamos, se você destruir um casamento por causa de um tesão assim, e dormir com o "amante", depois do sexo, depois do orgasmo você vai se sentir uma idiota. Vai ter jogado pro alto tantas coisas boas por causa de algo tão banal. Acho que o que ela fez foi o certo: contar pro marido, ser verdadeira, sincera, para que os dois aprendam a lidar com isso. É o que eu faria. E é o que eu sempre digo: é melhor ter um casamento verdadeiro e sincero por 2 anos, do que viver uma farsa por 20.

Daniela Freitas disse...

Tati, acredito q dá pra separar as duas coisas sim !! Graças a Deus, amo e tenho tesão no meu marido, mas por exemplo, ver a barriga tanquinho do, sei lá, Cauã Raymond, dá tesão. o que não quer dizer que (em caso de uma hipotese quase impossível)se eu tivesse oportunidade de transar com ele, o faria. Quando estamos num relacionamento sério, é como uma dieta, a gente vê aquele chocolate, mas pensa duas vezes se vai comer, pq não pode! Eu acho que sentir atração por outras pessoas é normal, é do ser humano..o que vc vai fazer com isso ?são outros 500...Se fazer sexo só pelo sexo trai os seus principios, com certeza o melhor é não fazer, e se respeitar dentro daquilo q vc acha certo!!! bjs

Paulinha disse...

Caraca, não sei qual é a história dela, mas se existir alguém na história da humanidade que só se sentiu atraído por uma pessoa durante sua vida (ou enquanto estava comprometido) essa pessoa tem problemas hormonais gravíssimos!!!!

Sentir atração é uma coisa, o que você vai fazer com isso é outra.

É aquilo: tá comprometido mas não tá morto, continua enxergando e tendo hormônios...

Siga sempre seus princípios... cada um sabe o "estômago" que tem!
bjs
http://rodasdenotape.blogspot.com/

Gabi de Davi disse...

Hahahaahaha, acho q conheço a Ana! rs
E pra ser sincera admiro demais a sinceridade com o marido, afinal seria bem mais fácil sucumbir aos desejos da carne, trair e fingir q nada aconteceu...
Ainda bem q sou assim tb, é claro q tesão com sentimento resulta numa mistura explosiva de boa, mas tb dá pra rolar sem ele...
Mas as pessoas são diferentes mesmo, ainda bem! rs

bjinhos

Dani disse...

Hmmmmm...

Só agradeço muito ao meu coração e aos meus hormônios por andarem juntos. :D Claro que eu já achei outras pessoas atraentes, mas nunca chegou ao ponto de eu ter que dizer isso para um namorado(ao ponto de virar a minha cabeça, de faltar sono, etc). Um, eles não nunca mereceram uma bomba dessas. Dois, eles sempre foram mto mais gostosos que as fantasias que eu podia criar e sempre me manteram satisfeita. Então...

Eu acho que eu não tenho paciência e emocional para lidar com essas coisas. "Como assim? Mas como assim?" Hahahahaha Pretendo continuar nesse caminho simples...Afinal,um relacionamento sério já dá mto trabalho. Agora, manter um relacionamento fantasioso junto é demais pra minha cabecinha. Não dá pra pensar em dois. Eu não consigo. Se o verdadeiro é tão bom, qual o motivo de criar outra situação, sabe? Afeee...


Beijo.

Oficina Chic disse...

Sem comentários sobre essa história hehe..
Bjos, Gabi

Bruna disse...

Cada cabeça uma setença..rsrs
bjos

Tati disse...

Oláaaa xará amada!!!! saudades de vc, nao entrei no msn ainda...mas vou entrar.
Mil beijos
Tati

analice disse...

sao coisas importantes, mas no meu caso, ainda junto as duas coisas...

Fairy disse...

Monogamia é coisa imposta pela sociedade, fato. Temos a capacidade de amar mil vezes sim, de sentir tesão simultâneamente com o amor e por aí vai. O tesão é feromônio, é para a perpetuação da espécie, é cinetífico isso.
A monogamia é coisa da igreja, sociedade. O amor é algo do coração, é o sentimento que fica depois que a paixão se esfria. São coisas distintas que se interligam.
É como a Cláudia falou, ele também sente, é normal. Só esperar que passa.
Podemos sentir um amor imenso por uma pessoa e sentir tesão nela. Mas o tesão é do momento, dá e passa.
Acho que não é legal contar ao marido, isso é tão dela, tão instintivo, para que magoar alguém que você ama, se ainda somos seres racionais e podemos sim travar esse primeiro instinto? Certas sinceridades só magoam, estragam a confiança e em vão, sabe?!
Beijos!

Flávia Lourenço disse...

Gosto da visão de Ana. E confeso que condordo com ela: amor e tesão nao andam juntos! O grande problema é que nos mulheres temos que tomar cuidado ao dar essa opinião. Podemos ser mal interpretadas. Ja sofri com isso. Nao que fui rejeitada. Mas ficamos um tanto "vulgar" ao pensar assim...

Pensem!!!