terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Para a Wan...

Uma blogueira fofa e muito querida me fez uma pergunta. Esse post é todo pra ela. E pra todas vocês que se perguntam a mesma coisa: como lidar com um coração aberto demais?

Se ultimamente o meu problema é ter um coração um pouco fechado, um dia meu problema foi o oposto. Eu olhava para o cara e achava que ele era o amor da minha vida, que casaríamos e teríamos vários filhos e nossa vida seria comercial de margarina. Mas aí a realidade era outra e eu me frustrava. E aí eu botava a culpa no homem quando, na verdade, a culpa sempre foi minha.

Aprendi ao longo do tempo que a expectativa que temos que criar no relacionamento é ZERO. Não criando expectativas, não temos frustrações e o que vier é lucro. Isso é fácil? Não. Dolorido? Sim. Mas necessário. Se entregar num primeiro momento é perigoso. Tão perigoso quanto pisar em areia movediça. Acho que temos que encontrar um meio termo nisso tudo.

Wan, infelizmente não tenho a fórmula mágica ou o escudo que pode ajudar a cicatrizar um coração partido ou evitar que o envolvimento aconteça. Mas sabe o que eu também penso? Que isso nos fortalece, nos ajuda a viver. Somos aquilo que vivemos e o que sentimos. A cada tropeço a gente levanta mais forte, mais decidida, mais segura de si. E uma hora, depois de tanto tropeço, a gente levanta e vive o momento pleno que sempre quisemos pra gente.

Essa é a delícia de viver....

4 comentários:

Viviane Tassi Brabos disse...

Eu diria apenas, "deixe a vida te levar", sonhar muito as vezes pode ser danoso ao coração e a saúde mental, hahaha.

Bjo

Nai disse...

Concordo que somos o que vivemos, nunca fui de esperar dos outros, acho que essa postura torna a vida leve e menos frustrante...rs
Beijus

Camila disse...

Ai Tatinha vc é uma super psicóloga, tô besta!
ADORO!
Obrigada por votar em mim viu?
Beijos Mili
www.milipavan.blogspot.com

Wanessa disse...

Tati, tudo bem?

Senti-me honrada com a postagem... obrigada de coração!

O problema é que alguns homens mentem demais só pra conquistar a gente, e, depois mudam da água pro vinho. O jeito é mesmo não criar expectativas... esperar sempre o pior desses "sapos".

Claro que a cada decepção eu fico mais "forte" e tb mais esperta né amiga!

É como vc disse: uma hora, quem sabe, depois de tanto tropeço, a gente levanta e vive o momento pleno que sempre quisemos pra gente.

beijos amiga!