sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Quem está no mesmo barco?

Ando meio sem responder comentários (work,work,work) mas estou lendo todinhos com muito carinho, portanto podem continuar comentando. Uma leitora nova entrou em contato e disse que está na mesma situação que eu: mulher-concha. Decidi dedicar esse post para essa leitora.

Ontem eu estava pensando na cadeia alimentar, na de energia e de biomassa: o membro seguinte da cadeia incorpora parte da energia e da massa do ser anterior. Isso significa, em outras palavras, que um pouco daquele ser que você comeu fica em você. Logo, numa conclusão brilhante para uma loira como eu, a gente carrega todas as lembranças e muda conforme os nossos relacionamentos vão mudando. Entenderam? Não? Explico... a gente carrega marcas definitivas (boas e ruins) de relacionamentos anteriores. Fácil de entender,né? Mas difícil de viver...

Querendo ou não, se estamos sozinhas (ou namorando, mas não casadas) hoje é porque os relacionamentos anteriores não deram certo. E isso, com certeza, deixou marcas. Eu,por exemplo, tomei tanto na cabeça que resolvi colocar um muro em minha volta que, segundo consta, está quase intransponível. O meu medo de que as coisas não acabem bem novamente é tão grande que eu simplesmente (e inconscientemente, espero eu) resolvi me impedir de sentir as coisas e me entregar de corpo e alma para uma nova relação. Sabe qual é o resultado disso? A nova pessoa na nossa vida acaba se sentindo feliz e infeliz ao nosso lado. Mesmo pq, venhamos e convenhamos, ninguém gosta de conviver com um cubo de gelo, certo?

Essa minha leitora e eu estamos vivendo essa situação da mulher-concha: aquela que se fechou tanto que não sabemos exatamente aonde largamos a chave que trancou o nosso coração.  E por mais que a gente entenda e saiba do problema, às vezes é um pouco difícil acreditar que a gente pode sim viver uma história bacana ao lado de uma pessoa especial. E a consequência disso é poder perder uma pessoa que seria de extrema importância na vida.

Meu conselho para essa leitora (e pra mim também) é fazer a terapia do EU ACREDITO. É realmente acreditar que a gente merece uma pessoa boa e que a gente pode ser feliz. Não é porque não deu certo com os quatrocentos e cinquenta mil caras anteriores (tá...dois anteriores) que não vai dar certo com o atual.

Sabe por quê? Porque o atual sabe da sua história e sabe o que passou com você. Se ele está embarcando nessa é porque gosta de você e quer estar ao seu lado.

Se você perdeu a chave que abre o seu coração, leitora, é fácil... arrume um chaveiro que arrebente a fechadura, coloque uma nova e entregue a chave para essa pessoa especial...

13 comentários:

Bruna disse...

Bom seria se as marcas ficassem no passado, mas é quase impossivel.
Beijos
@Brunamotablog
Blog Woman Chic (http://wonanchic.blogspot.com/)

Raquel Barbosa disse...

Já me intrometendo, fica mais um "conselho", não abra demais suas inquietações com ele (se for possível, rs), vá vivendo, um dia de cada vez, sem discutir relação sempre...me entende? abraços,

Jacqueline disse...

COncordo com a Raquel devemos viver um dia de cada vez sem precisar discutir a relação, sermos mulheres poderosas. EU todo homem que conhecia já pensava em ser meu novo namorado , agora penso diferente não vou titular como namorado um homem que nem conheço e para eu fazer sacrifícios por ele vai ter q ser muito bonzinho e dedicado. EU também parei de estar disponivel sempre, ele me encontrava no msn, ou orkut ou telefone em tudo eu estava lá pra conversar, mas agora parei, vou cuidar da minha vida e fazer coias que gosto de fazer , eu em primeira opção. Já cheguei a ficar até 1hora da manha esperando ele entrar no msn para conversarmos e eu acordava as 5, já me sacrifiquei demais para nenhuma recompensa.

Viviane Tassi Brabos disse...

Tati, o mais interessante disso, é vcs saberem o que fazer, e não conseguir tomar atitudes que as impeçam de perder talvez, a pessoa ideal.
Acho que terapia ajuda muito, outra coisa é deixar o que passou para trás, e abrir o coração para novas conquistas, novos amores.
Nós mulheres temos o dom de dar mais importância a uma coisa ruim que aconteceu do que ela realmente merece.
Perceba como os homens são mais felizes nesse sentido, para eles acabou pronto, podem até sentir tristeza, mas estão sempre abertos para uma nova conquista, um novo amor.

Bjo

Paulinha disse...

Tati, entendo vc... é fogo...
A gente sabe a teoria, mas na prática, vira concha mesmo...
Viva um dia de cada vez, sem criar graaandes expectativas a longão prazo.
Talvez seja mais fácil...
bjs

Bonequinha de Luxo disse...

Oi Tati, saudadessssssss!!Tati, vc é muito engraçada hahahaha, abra esta concha mulher, se perdeu a chave, faça uma cópia, uma menina lindacomo vc, é inadimissível ficar trancada, sua leitora também, bjs, Va.

martinha disse...

Oi Tati, tenho uma amiga que vive a mesma situação que vc e sua leitora e concordo que o pior de tudo é vcs terem consciência do fato que as impedem de serem felizes e mesmo assim não conseguirem fazer nada para mudar tal situação - Eu costumo dizer a minha Amiga, para ela praticar a musica do Zeca Pagodinho "Deixa a vida me levar..." ou seja para ela tentar esuecer o passado e viver um dia de cada vez, sem espectativas e frustrações. Beijo e té++

Sizií disse...

E se fosse taão facil assim, quanto escrever, tudo comigo teria dado certo rs.
:)

Pattyumi disse...

sinto a msma coisa! rs
medo de entrar 100% num relacionamento e no final...(again) "quebrar a cara"....
+ cmo vc falou, ninguém gosta de um cubo de gelo...então é sempre bom ärriscar, afinal, se vc sempre viver com "medo" disso, é melhor se relacionar com uma planta! ;)

Lari disse...

O meu medo de que as coisas não acabem bem novamente é tão grande que eu simplesmente (e inconscientemente, espero eu) resolvi me impedir de sentir as coisas e me entregar de corpo e alma para uma nova relação.

Parece que vc estava me descrevendo ai em cima. E isso não é só com relacionamentos amorosos, não. É com qualquer tipo de relação social que eu tenha. Já fui descrita como uma caixinha preta por uma amiga pq já sofri com umas "amizades" que me traíram e fico tão encucada agora de fazerem isso de novo que demoro MUITO pra confiar em alguém.

Vou fazer um post dedicado a isso no meu blog pq vc tocou na minha ferida e acho que às vezes falar sobre isso pode me ajudar, quem sabe?

Outra coisa (sorry pelo comment gigantesco), sábado sonhei com vc mesmo nunca tendo te conhecido. I'm weird, i know!
Não sei se encaixa na sua personalidade, mas sonhei que vc estava fazendo uma coreografia de balé para umas dançarinas em que vc queria misturar o conceito de dança fluida com o de imagens concretas.

Bjus e boa sorte!

Equipe PFH disse...

tati sumidona... Cadê vc?? Ta parecendo eu....kkkk

Pelo jeito o fds foi BOOOOOOOOOOM!!

Conta td pra gente!!

bjooooooooooo


Ciça

www.pilatesforhealth.blogspot.com

Wan disse...

Tati querida,

Sabe, esta semana estou muito triste... não sei que tipo de mulher eu sou?

Sou aquele tipo que está sempre dando uma chance pros caras e quebrando a cara... literalmente "beijando sapos".

Eu dou um voto de confiança, eles vem com aquele papo de "bons moços" até conquistar a idiota que vos escreve, ai, eles pisam na bola!

A minha pergunta é: como trancar esse meu coração bobão?

Beijos!

Tati disse...

Amigaaa, vou escrever apenas uma frase:
SE ENTREGAAAAA MULHER!!
Como a va disse, não dá para uma mulher linda como vc virar concha!!!

beijooo amada
Tati
www.phinerrima.blogspot.com