quarta-feira, 30 de março de 2011

Fantasma...e mico!

Tem coisas que só a Philco faz pra você. Outras quem faz é o destino. Há quase dois anos atrás eu trabalhei em uma agência que, tirando a coordenadora, o pessoal era muito gente boa. Todo mundo. A gente se divertia trabalhando e as pessoas sempre se ajudavam,coisa rara em comunicação. Aí veio a festa de fim de ano. Opa, minto. Foi o aniversário de, sei lá, quatro anos da agência. Sexta-feira, 15h. Todo mundo desligou o computador e foi para um bar em Moema.

E vai bebida e vem porção. Mais porção. Mais bebida. Um monte de fotos. Mais comida. Mais bebida e a hora passando. E logo dá 23h. Todo mundo resolve que é hora de sair do bar. Sinceramente não sei como a gente sobreviveu ao bar. Estava todo mundo (e digo todo mundo meeeesmo) mais pra lá de Marrakesh. Fato (e para encurtar o post) eu acabei ficando com o cara do financeiro. Ficamos só aquela noite, na festa da empresa, mas rendeu risada para todo sempre...até a outra festa,claro.

E aí, minha gente, eu saí de lá e achei que nunca mais veria o fulano. Até que eu dei de cara com ele fazendo a filmagem de um evento de um cliente meu. Não, povo, nada aconteceu. Nem tinha clima pra isso, visto que a bebida foi a única coisa em comum que a gente tinha. Ele não era nem de longe um cara ideal. Foi coisa de momento mesmo. Mas o mico de encontrar a pessoa mais de um ano depois foi engraçado.

Mais uma para a sessão: meu mico, mico meu...

5 comentários:

Paulinha disse...

Ai, Tati... tem coisas que só a caninha faz pra vc, né? ahahahhaha...
Vc contando isso me fez lembrar do meu passado negro! Hahahahah...


bjs

Nai disse...

É, a bebida é um tônico embelezador, depois de algumas todo mundo fica interessante.
Ainda bem que ele deixou você na sua e não aconteceu como comigo.
Meu marido é maga ciumento, estavamos numa balada e de longe eu vi um gato rolo das antigas todo esbanjando sorriso. Fiz de conta que não era comigo, que meu fotografo favorito era transparente.
Minhas amigas que sabiam da história sentiram o momento tenso no ar, virei de costa pra não ter que cumprimentar e não é que o dito veio falar comigo: Você lembra de mim? Dei um sorriso envergonhado e meio marido deu dois tapinhas no braço do cara e disse: Ela não lembra não, me puxou de lá e o deixou com a maior cara de ué no meio das minhas amigas. O mais engraçado que o meu querido tem 1,75m e o outro mais de 20 cm de diferença... baixinho encrequeiro.
Beijus

Anônimo disse...

Ta certo seu marido !todos fariam o mesmo Nai ! e Tati .. como você tem rolos

Aline Braga disse...

Tati,
me divirto sempre com suas histórias, é cada situação que vc passa hein..
Juro que se eu fosse você escrevia um livro, adoro ler sempre seu blog, adoro a maneira como vc escreve os post!!!

Beijos, Aline.

www.myfabspace.blogspot.com

Tati disse...

Eeeee cachaça braba! rsrsrsrsrs


beijokas
Tati