sexta-feira, 11 de março de 2011

Felicidade...e ela pode!

Esses dias (e vários outros no passado) conversando com as amigas, familiares e por aí vai, sobre felicidade. A gente tende a depositar a nossa felicidade sempre na mão dos outros. Talvez isso seja um mecanismo de defesa para que, em virtude de uma frustração, a gente possa ter a quem culpar e que o culpado não seja a gente. Isso é errado.

Aprendi, depois de muito tombo,é claro, que nós somos donos da nossa felicidade. Somos nós os detentores do poder de nos fazer (ou não) felizes. Essa é a mágica da vida. Meu pai não é dono da minha felicidade, minha mãe também não. Minha filha não é responsável por me deixar feliz. Não. Todos eles dependem da minha vontade de ser (ou estar) feliz naquele momento ou por uma vida toda. Se eu não quiser ser ou estar feliz, eu e só eu posso me fazer nesse estado lindo de espírito. Sou eu quem deve buscar a realização pessoal e profissional. Não posso depender de ninguém para que isso aconteça.

E aí que eu acho que a minha "ídola", musa do blog (brincadeira essa parte), Jennifer Aniston entendeu esse recado. A mulher sempre foi taxada (acho que é com X...) de coitadinha porque foi traída e largada pelo marido bonitão (e bota bonitão nisso,hein,Brad?) e deu a volta por cima. O que era pra todo mundo dizer "pobre menina rica que vive sozinha em busca do amor" está virando "olha que legal: a mulher pegou um limão, fez uma limonada e está tomando e sendo feliz...". Jen não precisa mais de um grande amor para dizer que é feliz. Ela está feliz com ela mesma. E fala isso em todas as entrevistas. E mostra pelo sorriso no rosto.

Acho que a gente pode se inspirar nela...e perceber que duas letrinhas são responsável pela felicidade plena na vida: E-U.

Nenhum comentário: