quinta-feira, 10 de março de 2011

Quantas pessoas existem em um relacionamento?

Duas? Três? Uma? Meia? Nenhuma?

A respostas para essa pergunta é relativamente complicada. Quando entramos em um relacionamento, em teoria deveríamos ter apenas duas pessoas envolvidas: o homem e a mulher (ou os dois homens, ou as duas mulheres...). Mas a coisa não é bem assim. Quando a gente menos percebe, o relacionamento virou conversa da mesa do bar. E aí o perigo é desandar.

No meu caso, meus relacionamentos precisam - necessariamente - começar a três:eu, a pessoa e a Madu. E isso nunca é fácil. Na verdade, na minha cabeça, pensei que seria. Mas não. Madu é ciumenta como a mãe e acaba sendo mais complicada do que ela é realmente. E tudo fica mais complicado ainda. O que é apenas um passeio de casal torna-se um passeio com uma criança. O tempo que era para ser a dois, fica a três. E os momentos importantes a sós são cada vez menos frequentes. Problema do século XXI, em que pais e mães separados são tão comuns quanto ter um celular. Faz-se o mal tempo e a confusão. Pelo menos da minha parte.

E vem uma pequena tempestade, resolvida com conversa. E aparecem novos personagens. Quem são eles? Todo mundo que vive e convive com o casal. Gente que quer ajudar e acaba atrapalhando. Gente que torce por um término. Gente que quer dar opinião. Gente bondosa. Gente maldosa. Gente...pura e simplesmente gente.

Fiquei pensando em mim e tantos outros casais que vejo e convivo por aí.Quantas pessoas existem no relacionamento deles? Quantas pessoas precisam participar ativamente de decisões e situações?

E,na pior das hipóteses, quando não dá certo, com quantas pessoas precisamos terminar??

7 comentários:

martinha disse...

Olá Tati tudo bem? Creio que seu post combina bem com a frase que a minha mãe sempre dizia: - "nós casamos não só com o marido mas com a família toda dele", creio que por isto sogra é sempre sogra, enfim acho muito cmplicado separar os agregados que estão sempre dando palpites, mas temos que saber colocar limites para não sermos penalizados... bijo e té+

Oficina Chic disse...

Realmente um relacionamento envolve muito mais do que duas pessoas, na minha opinião.. É uma troca, e a família sempre acaba envolvida em partes.
Beijos, Gabi

Nai disse...

A vida é meio complicada...

Quando comecei a namorar foi um Deus nos acuda, parecia final da Champions, todo mundo tinha um palpite e queria dar.
Tinha gente que literalmente chegava e dizia: Não dou nem 03 meses!!
Era a turma do a favor, a turma do contra, a que ficava em cima do muro. A minha família, que não encarava com a maior naturalidade do mundo o fato dele ter filhos, a dele que fazia questão de colocar as ex na sala de troféus a serem batidos.
E uma sogra que propositalmente me chamava pelo nome da ex, mesmo tendo uma filha com o meu nome,rss.
O primeiro ano foi o mais difícil da minha vida, tentei de todas as maneiras terminar tudo tamanho estress. Não sou do tipo que sofre, se não me faz bem descarto. Esse negócio de lutar com todas as forças por homem não é o meu tipo.
Se estamos juntos hoje foi por maturidade dele, porque a minha era zero.
Só começou rolar bacana, quando eu blindei a relação. Foi necessário sair de cena, substituir pessoas, manter as famílias um pouco distante, até que todos tiveram que entender que se quizessem conviver com nós, teriam que se colocar em seu devido lugar.
É assim até hoje, não peço opnião nem conselhos de ninguém, se temos algum problema ou divergência de opnião é resolvido entre nós dois.

A Madu vai se acostumar com seu namorado e logo essa fase da ciumeira passa, foi assim com os filhos dele.

Beijus

Déborah disse...

Complicado demais isso! E é bem por aí mesmo...vc nunca está num relacionamento a dois, nunca! Por mais que os dois não tenham filhos, tem os sogros, os cunhados(as)...enfim, para mim as vezes o amor não tem que suportar tudo, as vezes outras coisas são mais necessárias que o amor, e quando acontece isso que você disse temos que pensar se realmente vale a pena lutar pela relação.

ciça disse...

Ai, Tati... Tem várias pessoas pelo relacionamento, mas as mais importantes são vocês 3...

Qdo me casei, minha mãe me disse e é verdade: agora sua família é o seu marido. E ponto.

Eu entendi. Não que ela me excluiu, mas eu comecei a MINHA família. E começa do ponto onde nós 2 estamos felizes. Por ex: esse Natal, meu marido quis passar na praia. Eu fui, e a minha mãe deu a maior força (por mais que eu soubesse que ela preferisse que eu passasse o Natal com ela). Mas pq o que importa é a felicidade da família. E se a minha família está feliz, minha mãe fica feliz por mim.

Não sei se fui clara, é difícil mesmo, mas o principal é separar o peso das opiniões alheias...

bjos e boa sorte

Camila disse...

Concordo super com a ciça!!!!!

Ahhh sorteio no blog de um scarpin lindooooooooo, participa tbm??????????
Beijos Mili
www.milipavan.blogspot.com

Lari disse...

Pois é, tem a família dele, a sua família, os seus amigos, os amigos dele, os palpiteiros, os invejosos, tanta gente que se vcs não souberem dar um basta esse relacionamento entre casal acaba virando BBB... rs

Boa sorte!!!