quinta-feira, 31 de março de 2011

Reflexões...

Pensei que Romeu e Julieta fosse história de Shakespeare, baseada total e completamente na cabeça literária dela. Hoje eu vejo que não. Não é bem assim. Romeu e Julieta são personagens de histórias que podem ser do seu vizinho, da sua amiga ou da atriz da televisão.

Ontem, no fim de um evento, vi a revista Caras dessa semana em cima de um balcão. A capa é a atriz Cibele Dorsa, que se matou semana passada depois de dois meses do suicídio (no mesmo prédio, da mesma sacada) do noivo. Ambos têm um histórico de depressão e ele, mais do que isso, de drogas. A revista conta sobre o e-mail que ela mandou para o editor da revista antes de pular da sacada e mostra algumas cartas deixadas para familiares, amigos e filhos. 

Não consigo pensar na fraqueza de espírito dessa mulher. Uma mãe, ainda que longe dos filhos, desistiu da vida por não saber conviver com a dor do amor. Não a julgo. Não sei se, nas mesmas condições, eu faria a mesma coisa. Acho que não. Minha família (a parte da minha mãe) é espírita e sabemos que o lugar para onde vão as almas que se matam não é o céu. Se lembram do Vale dos Suicídas da novela A Viagem? Lá é o destino final de Cibele e seu noivo. Espero, de coração, que mesmo nesse lugar horrível e longe da luz eles se encontrem e consigam aprender e seguir juntos.

Fico pensando se existe mesmo um amor tão forte que é capaz de "matar" alguém. Não acho que ninguém morra de amor, mas essa atriz morreu. Morreu por amar alguém que partiu. Morreu por amar filhos que foram tirados dela (não sei o motivo). Morreu por amar coisas que não podia ter. Morreu querendo encontrar um amor. Morreu sem amor nenhum.

Espero que ela e o noivo encontrem a luz e sigam juntos...se esse for o caminho a ser tomado.

8 comentários:

Claudia disse...

Não acho que ela morreu de amor, e sim de desequilíbrio. Foi uma merda de vida? Sim, mas ela tinha tempo e dinheiro para procurar ajuda profissa. Sabe, eu acho que tem gente que apanha, apanha, e nunca aprende, nunca passa um minuto quieta, pedindo ajuda a um ser maior, reunindo forças para tomar as rédeas da vida. Perdeu os filhos? Quer sinal maior de que vc está no fundo do poço, porra? Então faz algo a respeito em vez de achar que porque é bonita e famosa os outros tem que perceber seu desespero e te ajudar. Trabalhar com gente miserável mesmo, sem nada, me fez perceber a futilidade que é esse dramalhão de "se matar" porque ninguém te entende.

Enfim, essa não foi uma bronca pra vc, Tati, adorei esse post e achei muito bem escrito, só não concordo que ela morreu por amor. Amor nos melhora e dá forças, faz a gente superar qualquer coisa. Ela morreu, na minha humilde opinião, de desequilíbrio e solidão. Bjs.

Das Mariazinhas disse...

Esse é um assunto bem polêmico.
Mas sinceramente acredito que se matar não seja o caminho, talvez os fracos pensem que "fugindo" da vida, estejam salvos de qualquer outro sofrimento, enganam-se completamente.
Acho sim um ato de covardia, ao invés de procurar ajuda, se matar e achar que tudo vai ficar resolvido.

Bjo

Tati disse...

Iiiii, post que vai dar polêmica!

Mas olha acho assim, tb concordo que ninguem morre por amor, mas não sie o que se passou na cabeça dela, nem os problemas q ela tinha, eu apenas acho que não sei o faria uma pessoa a tirar sua propria vida, bom pelo menos sei que não era amor por ela mesma.
beijos flor
Tati

Tati disse...

Iiiii, post que vai dar polêmica!

Mas olha acho assim, tb concordo que ninguem morre por amor, mas não sie o que se passou na cabeça dela, nem os problemas q ela tinha, eu apenas acho que não sei o faria uma pessoa a tirar sua propria vida, bom pelo menos sei que não era amor por ela mesma.
beijos flor
Tati

eusoqueriadizer disse...

Qto tempo Tati!
Como andam as coisas???
Eu sumi, mas sempre acompanho seu blog!

Sobre o post, acho meio complicado falar sobre amor em situações tão sofridas e estranhas como essas...

Mas não podemos julgar sem estar presente, sem saber os detalhes do acontecido, sem estar dentro da pessoa né?

Bjusss

Nai disse...

Não consigo compreender o desespero que a pessoa se encontra para dar cabo à própria vida... difícil.
Beijus

Paula disse...

fraqueza? Me perdoe,mas voce realmente acha que se matar é um ato de fraqueza? Quer coragem maior que essa? Não é fácil decidir tirar sua própria vida.
Enfim,só queria que as pessoas entendessem melhor o que se passa na cabeça das pessoas ''desequilibradas'', à margem da sociedade dita normal. Isso,infelizmente,ainda está longe de se concretizar. Mas fica o meu comentário para que talvez as pessoas pensem um pouco a respeito.

Lari disse...

Bom, eu sou espírita tb e aprendi que Deus foi tão bom conosco por nos dar uma chance de virmos a Terra e reparar nossos erros, que ao tirarmos a nossa própria vida, estamos indo contra todo o amor que Deus tem por nós.
Acredito que quem pensa em se suicidar deve, antes de mais nada, pedir ajuda, falar que não está bem, procurar um profissional, o que for melhor, mas não deixar o desespero te engolir a ponto de não se enxergar mais todas as coisas maravilhosas que nós temos.