terça-feira, 12 de abril de 2011

Relacionamentos

É complicado esse negócio de relacionamento, seja ele em qual âmbito for (nossa, falei bonito...). Não interessa se é família, se são amigos, namorado, marido, esposa, amante, chefe, subordinado. Sempre (SEMPRE) tem um enrosquinho ou uma rusguinha (não sei se eu escrevi certo) no meio.

E aí, quando um relacionamento acaba, a gente nunca sabe muito o que fazer. Se foi o emprego que rodou, basta mandar currículos que achamos (logo ou não) alguma outra coisa. Se foi uma amizade, não digo que novos amigos substituiram aquele que se foi, mas novos amigos aparecem e a gente acaba levando a vida. Namoros,então...esses são super substituíveis,pelo que tenho visto. A gente sempre vai carregar aquelas pessoas na nossa vida, mas outras aparecerão. Ou então não existiriam novos casamentos pós-divórcios.

O duro é que, quando um relacionamento acaba, geralmente você tem que comunicar não só a pessoa interessada (ou terminada), mas também todo o mundo que está à sua volta, incluindo o imeeeenso mundo virtual. Acho que acaba sendo um "sofrimento" em dobro. Não basta "deletar" todo o seu recente passado da sua vida atual (cartas, presentes, fotos, etc), você ainda tem que ter o trabalhão de deletar tudo aquilo que está no seu Facebook, Orkut, Blog, Twitter e mais milhares de redes sociais que vemos por aí. E aí é que começa... nem sempre o outro lado está de acordo ou entende a situação. E, cá entre nós, nem é obrigado a entender...quem terminou foi você e não a pessoa.

No fim das contas, pessoas, tudo é muito complicado. Quando se está num relacionamento, quando se sai dele. Como se entra, como se sai. Quem fica no meio de tudo isso. Mas sabe o que é melhor? Se não fossem essas "complicações" a vida não teria graça nenhuma...

6 comentários:

Bruna disse...

Oi Tati, relacionamento é complicado, poderia ser menos nê?
Beijos

Aninha disse...

Eu concordo, Tati. Acho tão difícil essa parte de 'terminar perante a sociedade', que só fiz isso quase um mês depois, e pq ele fez primeiro.
Uma das coisas que mais me incomodou quando meu namoro de quase três acabou, foi o tanto de vezes que tive que explicar o porquê pros outros.
Sempre que uma 'pessoa nova' ficava sabendo, vinha e me perguntava "Aninha, mas porque acabou?". É natural, é normal, é, concordo. Mas quando a gente começa a namorar, ninguém vem perguntar o porque de termos começado, então porque devemos ou precisamos explicar o motivo do fim, se é muito mais dolorido e machuca muito mais - afinal de contas, estamos num momento de dor e de readaptação a milhares de coisas - do que os motivos que nos fizeram namorar aquela pessoa?

Rô - Blog Consuma com Moderação disse...

Oi Tati!
Concordo com você. É duro, pois além do sofrimento do fim da relação, ainda é preciso comunicar a todos e ainda por cima ficam fazendo perguntas dos motivos, que nem sempre estamos com vontade de responder.
Beijos!

Jacqueline disse...

Sabe eu gosto muito do seu blog passei por tanta coisa com relacionamentos sabe, ainda mais amorosos sofri demais, e me identifico demais com vc, como sabe levar sua vida sabe, lendo vc eu me sinto em sexy and the city "brasileiro" rs. Bjos e continue que estarei sempre aqui lendo!

Oficina Chic disse...

Essas complicações na maioria das vezes são complicadas demais né? haha.. Relacionamentos são dificeis, e merecem uma boa cabeça!
Beijos, Gabi

Ps.: Tem sorteio lá no blog, amiga :)

Paulinha disse...

Concordo, Tati, é mto cansativo "dar satisfações"... até pq mtas vezes é pra gente que nem tem mto convívio pessoal... um saco, né?