sábado, 30 de julho de 2011

Mulher com mulher dá... TPM

Muita mulher junta é sinônimo de confusão, gargalhadas e....TPM. Sim...mulherada junta e misturada é complicado, mas gostoso.

No meu trabalho somos, numa única sala, em sete mulheres. SETE! Praticamente "O Escritório das Sete Mulheres" versão vida real e, por incrível que pareça, nunca tivemos confusão nenhuma. Tá certo que todo mundo compra (e come) chocolate todos os dias, mas acho que o que faz com a que a gente conviva em harmonia é o clima gostoso que impera entre nós.

Mas não é sobre isso o post. O post é sobre quando o clima não é legal (o que não é meu caso, mas já foi) porque existe a cobra entre a galera. A cobra é aquela pessoa que, como diz o nome, é um poço de veneno e amargura. Geralmente ela é dotada de uma auto-estima que bate no rodapé do nosso chão e acha que para crescer precisa diminuir os outros. E eu tive vários problemas com ela. Até que, por não aguentar mais, pedi demissão. Ela saiu com a sensação de ser vitoriosa e me acusando de não ser uma boa profissional. Me lembro que, na época, ela dizia que eu nunca chegaria a trabalhar na agência que eu sempre quis e...Hello, você (você mesma, coordenadora naja), eu consegui chegar aonde cheguei.


O que eu acho engraçado é como as mulheres são 8 ou 80...ou são melhores amigas ou se odeiam. Não existe morno. Não existe meio termo. Não existe meia verdade. Ou ela gosta ou desgosta. Ama ou odeia. E é por isso que, mesmo com umas laranjas podres que a gente encontra no caminho, amo trabalhar num grande Clube da Luluzinha. Desde que tenha chocolate...

Tive uma coordenadora assim há alguns anos atrás. A mulher precisava derrubar todo mundo para se sentir bem. Seu sucesso era "sorte pura" e não fruto do seu trabalho. O alvo dela era todo mundo que poderia crescer na empresa porque executava um bom trabalho. Homem, mulher, gay... sobrava para todo mundo. Menos para a sua aliada querida.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ansiedade

Ansiedade é uma me....! Não deixa a gente dormir, faz a gente perder (ou ganhar) o apetite, atrapalha no trabalho e na vida. Mas como conter a ansiedade quando a gente sabe que as coisas estão desandando. Explico: tenho dois cliente muito, mas muito queridos. Viraram mais do que clientes...viraram amigos. E um deles está quase fechando negócio com o concorrente do outro. Isso me deixou sem chão.

No mundo dos negócios (e pareço o Justus falando) a coisa é complicada. Cada um,claro, vai defender o seu rabo e aí quem está presa sou eu. Sabem aquele filme "A escolha de Sophia", com a Meryl Streep? Mais ou menos isso. No filme ela precisa escolher um filho para continuar vivo e outro para morrer. Eu acho que, pooooode ser, que logo mais eu me veja na mesma situação (não com filhos, mas com clientes) e aí eu realmente vou me sentir metade completa no trabalho.

É engraçado como cada cliente nosso se torna especial. Cada um, do seu jeito, acaba sendo um pedaço da gente. Não sei se para todo mundo, mas pelo menos para mim. Vibro com cada aparição de cliente meu na imprensa, adoro quando me reconhecem pelo sangue que dou para cada um deles. E quando um vai embora (seja pelo motivo que for) eu me acabo.

Aí que essa noite eu quase não dormi de preocupação. Mas aí pensei: estou sofrendo por tanta coisa hipotética que nem vale a pena passar por isso agora. Vou continuar dando o meu melhor e aí, quando acontecer a parceria (ou não) eu penso em como fazer.

Ansiedade...sai de mim que eu não te quero.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Como agarrar um marido.com.br

Não...não viramos (ainda) um domínio.com.br. Estou falando de gente que conheceu sua cara metade na internet. Acho que hoje está virando tão manjado quanto conhecer alguém em um barzinho. Com a (ótima) diferença que na internet você já analisa o perfil da pessoa e descarta (ou não) o pretendente.

Eu gosto disso. Gosto dessa nova maneira de se conhecer uma pessoa. Ainda mais porque tenho visto vários cases de sucesso. Uma grande amiga minha, a Paris (nickname,claro)....já falei dela aqui em vários posts. Enfim...a Paris está namorando há quase seis meses uma pessoa que ela conheceu pela internet.Se conheceram casualmente e aí engataram um namoro que está firme e forte. Não o conheço pessoalmente, mas ele faz a minha amiga feliz e pra mim isso é o que importa.

Meu paidrasto conheceu e se casou com uma mulher que conheceu na internet. Uma fofa que só vendo. E o casamento deles já dura mais de 10 anos. Uma raridade hoje em dia. Tá...meu pai está casado há mais de 20 anos (mas ele não conheceu a mulher dele na internet), o que é mais raridade ainda! Meu paidrasto e a mulher formam um casal fofo e provam que o amor pode estar por trás de uma tela de computador.

Conheço histórias que "ouvi por aí" de outros casais que deram certo e se conheceram assim; numa relação.com.br.

E vocês, o que acham disso?

terça-feira, 26 de julho de 2011

Quando é a hora certa para a primeira noite?

Esse post nasceu de conversas com amigas. Eu lembro da avó de duas graaaaaandes amigas minhas que, quando éramos adolescentes, brincava (ou não) e dizia: "Dá. Dá mesmo. Não regula,não. Olha eu...só dei pro seu avô...Se fosse hoje eu nem casaria cedo. Daria muito!" Claro que nós, na época, achávamos meio absurdo o comentário vindo, principalmente, de uma avó. E não levamos (acho eu) o conselho a sério.

Tempos depois a gente ainda conversa sobre isso. Mas a divagação (existe a palavra??) agora é outra: qual é a hora certa de ir para a cama com um pretendente? As pessoas que levantam a bandeira da modernidade dizem que não tem mais essa de "esperar um pouco", que se a pessoa quiser, pouco importa se é o primeiro ou o décimo encontro com a pessoa. Eu discordo.

Acho que, ainda hoje, com o mundo moderno e tudo mais, ainda é muita queimação de filme a mulher dormir (ou não dormir...hehehe) com o cara no primeiro ou segundo encontro. Acho sim que o cara pode pensar que somos "como qualquer outra que tem por aí" e acabar não levando a relação para frente. Pode parecer (na verdade, é) machista, mas eu acho isso mesmo. E comprovei. Já fiz a besteira de ir pra cama com um cara pouco tempo depois que começamos a sair e o resultado? O cara...PUUUUUF...sumiu. Algumas amigas fizeram a mesma coisa e tiveram o mesmo fim.

Talvez a coisa seja muito ultrapassada ou talvez os homens já não saibam mais valorizar uma mulher bacana. Não sei mesmo. Por isso, jogo a pergunta:

Quando é a hora certa para a primeira noite se a gente quer um relacionamento e não uma saída casual?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Joga fora no lixo...

Impossível não falar, apesar do bombardeio da mídia, da morte da Amy Winehouse. Já viraram e reviraram o baú de ataques histéricos, fotos com drogas, surtos no meio da rua e tudo mais. Exploraram o fato de entrar mais uma personalidade genial para o Hall de Talentos mortos precocemente e, com certeza, que tirou a vida.

Eu não vou ficar divagando sobre tudo o que já foi publicado por aí, nem fazer um discurso sobre drogas. O que eu acho absurdo e não consigo parar de pensar é o que faz uma pessoa tão jovem se destruir tanto. Todo mundo (ou grande parte) almeja a fama e a fortuna...quem consegue não lida bem com isso e pode correr o risco de acabar assim, morta.

Amy representa o protótipo da pessoa que não sabe lidar com ela mesma, nem com os outros, nem com a fama, nem com as frustrações da vida. Amy, posso estar errada, não foi preparada para entrar para o mundo das celebridades e fofocas. Amy talvez até tenha sido preparada, mas não teve cabeça para lidar com um mundo onde tudo é fácil: sexo, drogas, bebida, dinheiro.

Não saberemos nunca, fora o que a necrópsia provará, as causas da morte de Amy. Jamais saberemos os reais motivos de ter começado a morrer logo que começou a fazer fama mundial. Amy não se matou no sábado. Amy se matou aos poucos. A cada gole, a cada "cheirada", a cada noitada...Amy se matou em parcelas. E no dia do golpe final, dormiu. E não acordou mais.

Nessas horas vejo como tanta gente que vê a vida como se fosse lixo. E acaba, cedo ou não tão tarde, jogando ela no lixo...

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Amigos com benefícios???

Assuntinho difícil de dizer, de escrever e até de viver. E eu lembro muito daquele filme "Sexo sem compromisso", assistiram? Eu já falei sobre ele em algum post dos quase 500 que escrevi. Na teoria funciona assim: a pessoa tem um amigo (amigo mesmo) e vez ou outra eles se divertem juntos na festa do pijama (se é que me entendem). Simples assim. Ou não.

Não tenho lá muita experiência no assunto. Tenho uma "amizade com benefício" mas não sei se posso chamar de amizade. Acho que não somos amigos. E também, nos encontramos a cada século então fica difícil rotular como amizade. Fato é que acho que não me envolvi emocionalmente porque sei que ele não vale muita coisa...é uma pessoa legal, a química é boa, saímos para barzinhos, damos risada e,claro, ficamos. Assim e só.

Maaaaaaas....acho (ainda acho,minha gente) que é perigoso. Eu sei que posso, caso eu esteja mais carentinha, me envolver com essa pessoa. É um risco que se corre. E aí, como fica? Não fica, creio eu. Amigos com benefícios sempre vão se ver assim e aí é que a coisa complica. Ou os dois entram em sintonia e ficam juntos ou a amizade acaba. Fato. O fim de uma amizade com benefícios é o namoro ou então o fim da amizade mesmo.

Quem frequenta nosso espaço e tem um amigo (ou amiga) com benefícios, como faz?

quinta-feira, 21 de julho de 2011

O que a gente quer pra vida?

Uma casa própria? 
Um carro? 
Uma carreira estável? 
Um grande amor? 
Tudo isso?

E quando se quer tudo isso, como é que a gente faz? Acima de tudo, como lidar com a frustração de não ter tudo isso? Se contenta com o eterno aluguel? Anda de táxi e ônibus sorrindo e pensando que em Nova York as pessoas só andam assim? Fica feliz com um emprego que - ok, paga as contas - mas não é aquela maravilha? Acha que a solidão é não ter amigos e que um casamento não é, necessariamente, a solução dos problemas?

Não que a gente tenha um resultado catastrófico assim, mas é fato que realmente é complicado ter 100% da vida atingida. Eu,por exemplo. Eu estou com uma carreira que está crescendo e agradeço a Deus todos os dias por isso. Minha vida na Ferraz é corrida, mas não poderia estar mais satisfeita com o rumo da minha vida profissional. A vida pessoal...essa sim é um problema.

Não...eu não vivo infeliz. Morro de rir com as minhas amigas e meus amigos. Minha vida anda bem agitada e isso é um fato. Mas... falta alguma coisa. O que falta não falta só pra mim...falta pra tanta gente que eu nem me sinto perseguida ou algo parecido. Sinto que o mundo e as pessoas estão se perdendo e, penso de verdade, em como será com a minha filha.

A Clau, do Vaquinha Gertrudes, diz que o que a gente busca é uma testemunha para a nossa vida. Ela não poderia estar mais certa. A gente quer alguém ao lado para dar a mão pra gente quando estamos precisando de apoio. A gente precisa de alguém que nos dê forças quando estamos fracas. A gente quer comemorar com alguém uma grande vitória. A gente quer alguém que chore a nossa derrota. A gente quer...alguém.

E esse alguém está cada vez mais longe da gente. O mundo se perdeu, as relações se banalizaram e está cada vez pior achar alguém que queria a mesma coisa que a gente. Quando a gente acha - tá, não é todo mundo - sempre tem o problema do desencontro: de momento, de idade, de peso (ok, exagerei) e aí a gente acaba no mesmo lugar que começou.

A coisa é tão complicada e tão difícil que tenho visto pessoas desistirem de encontrar alguém bacana. Desistiram da busca do tal grande amor. Desistiram de uma testemunha. E seguem. Sozinhas, mas seguem.

Eu, hoje, não sei direito o que eu quero. Quer dizer, sei. Sei, mas anda tão difícil essa tal busca que acho que passei a valorizar mais ainda quem eu sou. Ou então, talvez eu nem perceba isso, eu acabe achando que sou menos do que eu sou. Não sei. Algumas atitudes minhas me valorizam demais. Outras me desvalorizem demais. E aí, como fica?

O que eu quero da vida hoje? Ser a melhor profissional que eu puder ser...porque esse meu lado eu sei que vai maravilhosamente bem.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Dia do amigo!!

E hoje é o dia de todo mundo que é aquela família que a gente escolhe ter e por isso acabam sendo tão especiais. Amigos são irmãos que se amam além do sangue. São as pessoas que estão ao seu lado independente de como você esteja. Amigos, quem sabe, são nossas verdadeiras almas gêmeas.

Graças a Deus posso dizer que muitos conhecidos queridos, mas amigos mesmo são poucos. E sou feliz por ser assim. Minhas amizades mais sinceras ultrapassam a barreira dos 10 anos de convívio. O melhor é que mesmo com a distância, todo mundo ainda se fala, conversa, ri e chora umas com as outras.

Tenho uma amiga que mora a um oceano de distância, mas quando conversamos parece que ela está na parede ao lado da minha casa. Tenho outra que morar em Vinhedo e trabalha em São Paulo. Quase todos os dias trocamos um OI no MSN. Essa amiga é especial...nosso contato, pasmem, era de colegial mas ficamos mais ligadas depois que ela e eu tivemos términos trágicos numa época semelhante. E isso nos uniu. Hoje ela é mais do que querida e uma pessoa de total confiança.

Tem o Clube da Lulu (que essas duas amigas aí de cima fazem parte) que se formou depois que a escola acabou e acharíamos que nos restaria apenas o contato virtual. O Clube da Lulu hoje conta com, claro, as Lulus e seus agregados. Esse é o clube que não vou deixar de ser sócia nem nos meus últimos dias.

E tem os amigos que conheci ao longo da vida.... gente que me acompanha desde sempre...! Gente que conheço há pouco tempo e se tornou especial. Gente que conheço há muito tempo e agora se tornou amigo de verdade. Gente que era amiga, perdi contato e reencontrei.

Gente amiga...isso faz a minha vida valer a pena!

FELIZ DIA DO AMIGO!!

Clube da Lulu

terça-feira, 19 de julho de 2011

Someone like you...

Someone Like You

Adele

Composição: adele laurie blue adkins/dan wilson
I heard that you're settled down
That you found a girl and you're married now
I heard that your dreams came true
Guess she gave you things, I didn't give to you
Old friend
Why are you so shy
It ain't like you to hold back
Or hide from the light
I hate to turn up out of the blue uninvited
But I couldn't stay away, I couldn't fight it
I hoped you'd see my face and that you'd be reminded
That for me, it isn't over
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remember you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah
You'd know how the time flies
Only yesterday was the time of our lives
We were born and raised in a summery haze
Bound by the surprise of our glory days
I hate to turn up out of the blue uninvited
But I couldn't stay away, I couldn't fight it
I hoped you'd see my face and that you'd be reminded
That for me, it isn't over yet
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remember you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah
Nothing compares, no worries or cares
Regrets and mistakes they're memories made
Who would have known how bitter-sweet this would taste
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remembered you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
Never mind, I'll find someone like you
I wish nothing but the best for you, too
Don't forget me, I beg, I remembered you said
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead
Sometimes it lasts in love
But sometimes it hurts instead, yeah, yeah

Popularidade...e outros assuntos

É... minha "popularidade" aqui no blog está meio baixa. Nenhum comentário no post anterior. Tudo bem que ele não falava nada com nada, mas era para dar notícias mesmo.

E por falar em popularidade, as coisas no mundo real estão cada vez mais bizarras. Descobri que sou uma mulher popular...com homens comprometidos. OI? O que está acontecendo com o mundo? Os relacionamentos estão tão complicados que tudo está virando um bolo de neve. E aí que eu realmente fico sem entender.

Não vamos voltar ao tema traição porque todos nós já temos opinião formada e mais do que discutida sobre isso. Mas realmente fico pensando porque o mundo está tão doido.

Mudando de assunto: fiquei "amiga" da nova mulher do pai da Madu. Conversamos num chat ontem e ela foi super bacana. Ela é separada e tem duas filhas então sabe como é complicada toda essa onda de separação e novos relacionamentos quando se tem filhos no meio. Espero, de coração, que ela tenha sido verdadeira em tudo o que falou, principalmente em prol da Madu.

De resto a minha vida tem sido um marasmo só. Vamos agitar,people!!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Olhem que fofo...

Tô me sentindo muito A profissional...

Eu trabalhando, no blog da Carol

Para vocês verem que quando eu digo que está corrido é porque está corrido mesmo.

Tipo hoje...

E já que o tempo está escasso, vou lançar uma "enquete": sobre o que vocês gostariam que eu escrevesse aqui no blog? Ou melhor...vamos brincar de "50 perguntas para a Tati". Coloquem nos comentários as perguntas e o post de amanhã cedo serão as respostas de vocês!

Beijos

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Um ano...

Apenas para contar...não que isso mude alguma coisa, mas vale o relato.

Hoje faz um ano que eu e Mr.Right tivemos a conversa final e demos o último beijo.

E parece que tudo aconteceu ontem...

Mas...é a vida que segue!

(pronto...já levantei!)

Uma imagem vale mais do que mil palavras...


Isso pode significar:

1) UHU...hoje é sexta!!

2) Passei da conta nos cosmopolitans e virei muito mais exibida!

3) Hoje é meu aniversário e eu estou me divertindo!

Qualquer que seja o significado:

BOM FIM DE SEMANA,PEOPLE!!

Segunda eu volto...prometo! 

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Quando tem que ser...será!

Muita gente diz que nada é por acaso, tudo tem um motivo e o que tiver que ser,será. Acredito piamente nisso.
E aí que eu abro a Caras (sim, eu leio Caras...e Quem...e Hola...e Isto É Gente) e dou de cara com uma matéria sobre o casamento da Carla Vilhena, jornalista da Globo. Minha gente, a moça vai se casar com um namorado de 25 (VINTE E CINCO!!!!!!!!!!!!) anos atrás!!

A coisa funcionou assim: eles namoraram...ela decidiu viajar para o exterior e ele disse que não esperaria por ela (ô pessoa delicada!). Aí ela foi, morou dois anos fora. Voltou, conheceu o Chico Pinheiro, casou com ele. Ele colocou um par de chifres (ou vários pares) traiu ela e ela pediu o divórcio. Isso tudo depois de 17 anos de casamento. Até aí...e daí?

Daí que uma amiga dela achou o tal ex-namorado no Orkut e entrou em contato com ele. Passou o telefone do moço para a Carla que, num dia de carência coragem ligou para o cara. Pronto. Eles se reencontraram e voltaram a namorar. Dois anos depois disso anunciaram o casamento. Assim...25 anos depois.

Fico pensando em como Deus (ou qualquer outro nome que queiram dar) faz as coisas de modo curioso. Como Ele prepara o nosso caminho sem que a gente entenda, mas um dia compreenda. 25 anos é muito tempo...muita coisa acontece. A mulher teve dois (acho que foram dois só) filhos com um outro homem e reencontrou O amor da vida dela um tempão depois.

Por isso é que eu acredito... O QUE TIVER QUE SER, SERÁ...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Declaração curta, mas que pode gerar polêmica...

Tá decidido, minha gente...

Enquanto não aparece o cara certo, vou me divertindo com os errados!


Não tem jeito, pessoas...se a gente espera que o príncipe apareça e fica esperando, ele:

1- Não vai aparecer... (ou alguém acha que ele vai bater na sua porta??)
2- Vai te achar uma chata porque você não viveu e quem não vive, fica insupor!

Então eu decidi que, mesmo que não seja o cara certo, vou aproveitar e viver um pouco...

Difícil? Não é não,viu,meu povo...

terça-feira, 12 de julho de 2011

O que acontece com os homens?

Aí que eu realmente não sei o que se passa na cabeça dos homens. Eles conseguem banalizar o relacionamento ao ponto de transformar um namoro em nada. Explico, por cases:

Tenho dois amigos que coincidentemente têm o mesmo nome. Os dois namoram há um bom tempo. Os dois traem as namoradas. Nenhum deles me deu uma justificativa que me "convencesse". Acham que é uma coisa do instinto masculino e pronto. Mas será mesmo? Será que eles precisam ser "pavões"? Porque eu não entendo uma atitude dessa.

Ok...sei que a pessoa pode se apaixonar por outra estando em um relacionamento, mas aí estamos falando de sentimento. Com esses amigos não...estamos falando de traição, de cama, de química de pele e nada mais. Uma noite e nada mais. Ou algumas noites, mas sempre nada mais.

Outro caso é pior...o cara é casado. Fez um pedido de casamento digno de histórias de Hollywood. Me jurou amor pela mulher. Aí eu descobri que o cara saiu com...pasmem...uma garota de programa. Assim...quase no mesmo dia que contou o pedido de casamento a la Hollywood.

Aí fica a pergunta: o que acontece com os homens?

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Leitora especial...

Olha que coisa fofa...


A Ingrid é leitora do blog. E faz tempo...nesse tempão todo, ela já comentou concordando,discordando, publicamente, anonimamente, virou a minha amiga no Facebook e aí, para a minha alegria, foi ao meu aniversário. Antes me mandou uma mensagem fofa falando sobre o blog e à noite nos vimos.

Falei para ela que viraria post e aí está a foto do encontro...temos várias outras, mas essa é uma que eu acho que ficou bem legal...

PS: Não tenho ideia do que é esse brilho no meu vestido...ignorem esse fato...hahaha

Vida nova, vida...

Mudei. Mudei de casa e de vida. Quero que esse seja um novo recomeço para mim. Sei que já escrevi isso antes, mas cansei daquela vida antiga, quero o novo de novo.

Estou me sentindo como uma menina que está fazendo intercâmbio, conhecendo o bairro, as pessoas...procurando mercado, padaria, pet shop. A casa ainda está sendo arrumada, mas tenho orgulho em dizer que 80% eu arrumei neste fim de semana. Os outros 20% arrumo durante essa semana e no outro fim de semana, já com a Madu na casa nova.

Meu aniversário reuniu poucas, mas queridas pessoas. Mr.Right não foi e acho que foi melhor não ter ido. Me diverti com as pessoas que podem estar ao meu lado, livres de qualquer amarra. Dançamos, pulamos, cantamos, bebemos, rimos, tiramos fotos...uma delícia. Estava ao lado de pessoas especiais e isso não tem preço.

E no dia seguinte eu mudei. Deixei para trás uma casa que eu realmente não gostava porque ninguém queria ir me visitar (era, gente MUITO longe de tudo...) e abri uma porta nova. Uma porta de um apartamento lindo, perto de tudo e com uma possibilidade de um novo começo.

É isso o que eu preciso...recomeçar. E cá estou eu...de novo.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Hoje é meu aniversário!!!



Hoje é o meu aniversário. 28 anos bem vividos, com acertos e erros. Com coisas boas e ruins. Alegres e tristes. Mas assim é a vida.

Hoje eu não quero saber de Mr. Right, nem de Mr.Wrong e nem de homem nenhum. Hoje eu quero saber de mim. Do que vai ser desse novo ano de vida que começa pra mim hoje. E é nesse ano que eu vou mudar tudo aquilo que eu não gosto em mim e precisa ser mudado. É nesse novo ano que vou ser feliz como nunca fui. É nesse novo ano que vou descartar tudo aquilo que me faz mal e deixar comigo só quem está ao meu lado, torcendo pela minha felicidade.

Hoje é dia de agradecer aos meus pais, pelo que sou e pelo que tenho, aos meus amigos pela força de sempre, à minha família.

Hoje é dia de agradecer a cada um de vocês que, mesmo de longe, me acompanham e torcem por mim, mesmo que não me conheçam pessoalmente. O blog é meu, mas é de vocês também.

Obrigada. Amo todos vocês.

PS: Santoro, pode vir na festinha que não vou ficar chateada não,tá? :)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Entre 4 paredes...tudo pode acontecer...

...tudo pode acontecer!

Eudora. Em todos os sentidos.

Já falei desses produtos aqui no blog, mas as fotos ficaram a desejar. Não eram nada reais. Agora sim... para o blog, essas fotos dizem muito. Entre 4 paredes podemos ser e realizar os nossos desejos mais secretos. Eudora te ajuda nisso.



quarta-feira, 6 de julho de 2011

Carrie Feelings

Olhem que lindoooo!!



Obra do Didier Sé, do Salão Marcos Proença

terça-feira, 5 de julho de 2011

Top Secret do depois...

Vou contar uma coisa pra vocês, mas vou me reservar ao direito de não revelar o desfecho da coisa. Tá bom que eu sei que vocês vão me xingar, mas também vão entender.

EU CHAMEI O MR.RIGHT PARA A COMEMORAÇÃO DO MEU ANIVERSÁRIO!!

Eu sei que vão achar que não é certo, que isso não vai levar a nada e mais um monte de outras coisas...negativas. Mas fiz o que o meu coração mandou. Lá no fundo eu gostaria que ele fosse, mesmo que para entrar, me dar um abraço de parabéns e sair. Mesmo que fique por um minuto. Mesmo que passe só lá na frente e me dê um oi de longe. Por quê? Não sei...saudade, vontade...

Vocês vão me entender por não revelar se ele foi ou não...isso é complicado demais para ser revelado. Mas, quem realmente gostar de mim, torçam para que ele pelo menos dê uma passadinha...

E lá vem a pulga...

...atrás da orelha.

Das duas, uma: ou mulher não entende o que o homem diz ou ele faz questão de usar a ambiguidade em suas conversas.

E assim caminha a humanidade.

Enquanto isso, cá estou eu...sentada na frente da tela, com uma conversa aberta e não entendendo uma palavra do que foi dito.

Adoro ser loira....

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Novo look

Mais loira...hehehe

Um grande amor...

Esses dias estava contando para uma amiga a história do começo do blog. Isso implica em contar sobre Mr.Right e tudo o que passamos. E aí que ela me diz: Por isso eu também acho que, não necessariamente, o grande amor da nossa vida termina com a gente no final. E,de verdade, talvez isso realmente exista.

Fico pensando em quantos e quantos casais vivem no eternamente "E se...". E se eu não tivesse terminado? E se eu não tivesse fugido? E se eu não tivesse traído? E se ele não tivesse casado? E se eu não tivesse impedido? E se... duas palavras que podem tirar o sono por anos e anos e anos... E pior, mesmo que te tire o sono para sempre, nunca vai ser respondida.

Será que o grande amor da nossa vida não é mesmo aquele que fica com a gente até o fim dos dias? Será que a gente pode viver um grande amor e ainda assim ser feliz com o que vem depois e acaba sendo o "second best"? Será que a gente viveria uma "felicidade conformada" porque nossa primeira opção não pode ser nossa?

Falo tudo isso não só por mim, mas por tantas outras pessoas. Pensem numa viúva. Ela casou com o grande amor da vida dela. Ele morreu. Será que nunca mais ela terá um outro grande amor e vai acabar assim, se contentando com apenas uma felicidade grande, mas não completa? Tenho uma amiga que perdeu o marido e hoje namora, mas não tive (ainda) coragem de perguntar para ela sobre isso.

E vocês? O que acham? Temos apenas um grande amor? E, se ele não pode ser nosso, como fica?

sábado, 2 de julho de 2011

Trabalho, fim de semana e outras coisas...

E coloca a mão aqui quem está escrevendo "ao vivo" (ou seja,não programei o post) diretamente da mesa do escritório em um sábado! EEEEEEEU! Ainda bem que eu AMO o que eu faço, ou então eu estaria beeeem de péssimo humor.

E escrevo para contar que, apesar dos dias difíceis, ando bem contentinha. Não tem um motivo especial, mas acho que estou melhorando daquele período punk de semana passada. O fato de comer mais chocolate ajudou, mas tem outras coisas envolvidas no meio.

Sabe o que acho engraçado? Você ter contato por muito tempo com uma pessoa, mas nunca realmente conversar com ela. Daí um dia você conversa, descobre um ser humano muito legal e a amizade acaba acontecendo de verdade. Isso tem acontecido comigo. Tenho conversado bastante com um amigo que, na verdade, sempre foi apenas "conhecido" e acho que isso me fez bem...

Enfim...só passei para não deixar o blog abandonado no fim de semana...

Beijos a todos!