segunda-feira, 4 de julho de 2011

Um grande amor...

Esses dias estava contando para uma amiga a história do começo do blog. Isso implica em contar sobre Mr.Right e tudo o que passamos. E aí que ela me diz: Por isso eu também acho que, não necessariamente, o grande amor da nossa vida termina com a gente no final. E,de verdade, talvez isso realmente exista.

Fico pensando em quantos e quantos casais vivem no eternamente "E se...". E se eu não tivesse terminado? E se eu não tivesse fugido? E se eu não tivesse traído? E se ele não tivesse casado? E se eu não tivesse impedido? E se... duas palavras que podem tirar o sono por anos e anos e anos... E pior, mesmo que te tire o sono para sempre, nunca vai ser respondida.

Será que o grande amor da nossa vida não é mesmo aquele que fica com a gente até o fim dos dias? Será que a gente pode viver um grande amor e ainda assim ser feliz com o que vem depois e acaba sendo o "second best"? Será que a gente viveria uma "felicidade conformada" porque nossa primeira opção não pode ser nossa?

Falo tudo isso não só por mim, mas por tantas outras pessoas. Pensem numa viúva. Ela casou com o grande amor da vida dela. Ele morreu. Será que nunca mais ela terá um outro grande amor e vai acabar assim, se contentando com apenas uma felicidade grande, mas não completa? Tenho uma amiga que perdeu o marido e hoje namora, mas não tive (ainda) coragem de perguntar para ela sobre isso.

E vocês? O que acham? Temos apenas um grande amor? E, se ele não pode ser nosso, como fica?

7 comentários:

Jacqueline disse...

Sabia que as suas palavras chegam a ser confortantes? A vida é maravilhosa, as pessoas são insubstituíveis, cada uma guarda um espaço no nosso coração, e na nossa lembrança. Um grande amor é assim, tivemos momentos que nunca vamos esquecer, guardaremos com carinho, que tirara um sorriso dos nossos lábios quando relembrarmos. Eu gosto! Estava lendo um blog, que uma mãe dizia como é passar seus dias sem o seu filho, o seu grande e primeiro amor, ele tinha 4 anos quando faleceu, ela não fala sobre tristeza, sempre lembra das coisinhas que ele fazia, sabemos que ela esta triste, mas ao falar das coisas boas, o blog fica com um brilho, não é um blog triste! Devemos viver assim, com lembranças bonitas!!

Isabela Bonfim disse...

Pergunta dificil essa, Tati... Eu sou a eterna romântica e acredito que temos sim apenas um grande amor e que só seremos completamente felizes com ele. Conheço uma pessoa que ficou viuva e que depois de uns anos se casou, mas o grande amor foi o primeiro e isso é muito claro.

Nai disse...

Do alto dos meus pouco 35 anos e de toda a água que passou embaixo da ponte. Na minha concepção um GRANDE amor é único.

Invejo quem pode ter ele por toda a vida.

Nos acostumamos com outras coisas bacanas mais não superiores. E na verdade, depois de um amor com letras maiúsculas não dá pra querer algo que supere.

Boa Semana pra ti.
Beijinhus Congelados!
Nai

Anônimo disse...

Sempre passo por aqui, mas essa é a primeira vez que eu comento.

Namorei por quase sete anos, dos meus 18 aos meus 25. Desse tempo, 5 foram MUITO bons e os outros dois foram complicados, ficamos mais amigos do que namorados e eu tive coragem de terminar (sim, coragem, pq nao é facil). Fiquei EXTREMAMENTE depressiva nos primeiros meses solteira, doente, achei realmente que não fosse agüentar, quando ia dormir, chorava de noite que nem criança, sapateava na cama, perguntava para Deus por que isso foi acontecer. Quando cai em mim e vi que eu estava sozinha, fiquei desesperada, mas meu ex namorado foi forte e nunca me aceitou de volta, porque já tinha se conscientizado de que não dava mais MESMO.

Hoje, um ano depois, estou namorando outra pessoa. Estou muito feliz, com planos, apaixonada, mas não posso mentir: EU AINDA PENSO NELE TODOS OS DIAS. Peço a Deus todos os dias para que ele não permita que quando eu estiver com meus 40, 50 anos, eu ainda pense nele e no fundo o ame, não quero viver todos esses anos pensando nesse “e se”...

Desculpe dizer, mas ninguém consegue esquecer um amor de verdade 100%. Você consegue, no máximo, 90, mas 100 não.

Tudo bem que a vida da gente continua, a gente tem que levantar e sair do buraco que se enfia quando termina ou a ocasião não deixa mais vocês ficarem juntos, mas os amores que a gente sente é diferente e o que eu senti pelo meu ex-namorado eu nunca vou esquecer.

O mais dificil é ouvir dele, até hoje (ouvi anteontem, inclusive), chorando na minha frente, que ainda me ama e que nunca vai esquecer de mim e o amor dele nunca vai diminuir, mesmo ele também estando namorado hoje outra pessoa. Pode parecer novela, mas eu resolvi, de verdade, deixar o cosmo ajeitar as coisas e acreditar que Deus nos separou porque era para ser assim. Só pensando assim que eu consigo me conformar e tentar me fazer mais feliz, ainda que com outra pessoa.

Sarah Fernandes disse...

Acredito que somos capazes de amar por varias vezes, afinal ninguem é ninguem, e que existem pessoas que passam por nossas vidas que deixam marcas, por conta da intensidade do amor e do relacionamento. Essas pessoas que deixam marcas serão pra sempre lembrados, mas o amor é superado e conseguimos, por esse motivo nos relacionar com outra pessoa.
Amei seu blog, to seguindo =D
Bjos

Sarah Fernandes disse...

Correção : ninguém é IGUAL a ninguém

Anônimo disse...

Viu onde entra a fidelidade???? A maioria das pessoas NAO ficam com o grande amor da vida delas,
Conhecem em momento errado, imaturos e tudo mais... Conhecem uma pessoa legal, e a convivência vai irando amor... Homens traem pois nao tem mais do lado, o grande amor da sua vida... E mulheres traem porisso tbm mas por outro motivo maior!! Vinganca .
Os homens querem a mulher ideal p casar baseado naquilonque eles escutaram a vida toda como deve ser a mulher para casar, mas isso e algo imposto sobre a vida deles... E traem pq na verdade o que agrada a carne dele eh oooutra espécie , diferente da que foi imposta