terça-feira, 29 de novembro de 2011

O que é o amor? (em inglês)

Tão lindo isso...recebi da amiga querida Nathy, companheira de shake no almoço (e de escapadas do shake também).


Actual Children’s Answers to The Question “What Is Love?”
“Love is when you go out to eat and give somebody most of your French fries without making them give you any of theirs.” - Chrissy, age 6 

“Love is what makes you smile when you’re tired.” - Terri, age 4

“Love is when my mommy makes coffee for my daddy and she takes a sip before giving it to him, to make sure the taste is OK.” - Danny, age 7

“Love is when you kiss all the time. Then when you get tired of kissing, you still want to be together and you talk more. My Mommy and Daddy are like that. They look gross when they kiss.” - Emily, age 8
“Love is what’s in the room with you at Christmas if you stop opening presents and listen.” - Bobby, age 7
“If you want to learn to love better, you should start with a friend who you hate,” - Nikka, age 6
“Love is when you tell a guy you like his shirt, then he wears it everyday.” - Noelle, age 7
“Love is like a little old woman and a little old man who are still friends even after they know each other so well.” - Tommy, age 6
“During my piano recital, I was on a stage and I was scared. I looked at all the people watching me and saw my daddy waving and smiling. He was the only one doing that. I wasn’t scared anymore.” - Cindy, age 8
“My mommy loves me more than anybody. You don’t see anyone else kissing me to sleep at night.” - Clare, age 6
“Love is when Mommy gives Daddy the best piece of chicken.” - Elaine, age 5
“Love is when Mommy sees Daddy smelly and sweaty and still says he is handsomer than Brad Pitt.” - Chris, age 7
“Love is when your puppy licks your face even after you left him alone all day.” - Mary Ann, age 4
“I know my older sister loves me because she gives me all her old clothes and has to go out and buy new ones.” - Lauren, age 4
“When my grandmother got arthritis, she couldn’t bend over and paint her toenails anymore. So my grandfather does it for her all the time, even when his hands got arthritis too. That’s love.” - Rebecca, age 8
“When you love somebody, your eyelashes go up and down and little stars come out of you.” - Karen, age 7
“You really shouldn’t say ‘I love you’ unless you mean it. But if you mean it, you should say it a lot. People forget.” - Jessica, age 8

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Limites...

Qual é o limite do ser humano? Será que ele é uma linha beeeeeem flexível, mas tão flexível que ele, na verdade, não existe?

Tenho ultimamente testado bem os meus limites. Em todas as áreas da minha vida. Testo o meu limite em tomar shake da Herbalife todos os dias (descobri que consigo quase todos...). Testo meu limite em cortar da minha vida quem não me merece (descobri que não é bem assim que funciona e tenho recaídas vez ou outra). Testo meu limite em engolir sapo (nesse eu sou boa...consigo engolir um brejo de uma vez só!). Enfim, vivo testando.

E aí que nessa de testar, testar, abrir mão, ceder e por aí vai, minha paciência com o mundo está esgotando. De querer a paz mundial eu estou quase dando largada na 3ª Guerra Mundial. De super "mulher com rodinhas", que não para em casa, eu virei uma ostra. Passo os meus finais de semana dentro de casa, só saindo para compromissos super inadiáveis. De bacana, virei chata. E tudo isso em um mês.

Aí que hoje eu resolvi acordar com uma cabeça diferente. Ligar um pouco mais o botão do "Foda-se" (desculpem o palavrão) e pensar mais em mim e na minha saúde. E tocar meus projetos e a minha vida sem pensar nas trezentas mil pessoas que vivem ao meu redor e que, até hoje, decidiam a minha vida muito mais do que eu mesma.

É aquela coisa..."Um belo dia resolvi mudar e fazer tudo o que eu queria fazer".

Cheguei no meu limite de viver no limite. Vou me libertar...e voar.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Quando você acha que já viu de tudo...

...eis que aparece um e-mail na minha caixa:

"Oi Tati, tudo bem com você e com a Madu? Então, você pode traduzir isso pra mim? Obrigado."

E aí você lê o remetente e vê que foi o PAI da sua filha, te mandando um e-mail comercial e não pergunta um A sobre a criança. Nada. Nem sobre saúde, nem sobre a escola, nem sobre qualquer coisa. Assim. Como se manda um e-mail com o seu currículo.

E quando você acha que não pode piorar mais, a criatura te chama no chat do Facebook e diz: "Te mandei um e-mail com uma tradução. Não esqueça de olhar." E ponto final. Eu olhei sim. Olhei indignada por longos cinco minutos e depois apaguei. E apaguei descrente que aquilo é um pai, com uma filha de 3 anos e ele simplesmente não dá a mínima.

Nessas horas, mais do que em qualquer outra, eu agradeço aos céus o pai maravilhoso que Deus me deu. Um pai que a cada 15 dias saía de São Paulo e ia até Vinhedo para me buscar. Um pai que já andou 75KM para ver apresentação da feira de ciências,sobre temas bem chatos. Um pai que, desculpe se ficar um pouco ofensivo, teve todas as condições favoráveis do mundo para esquecer que eu existo (relacionamentos familiares um pouco conturbados) e mesmo assim nunca me deixou em segundo plano. Um pai de verdade e que me orgulha. Amém por ter ele na minha vida.

E que pena que o pai da minha filha não pensa assim. Quem está perdendo é ele. E isso tudo o que ele perde, não se recupera.

Em tempo: se alguém quiser fazer a tradução eu encaminho o e-mail. Eu que não vou fazer...

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Cansada!

Não, apesar das crise, não cansei do blog. Cansei mesmo é de jogos. Cansei de interpretar sinais ou querer que atitudes sejam sinais. Cansei daquela coisa de conquista, que depois que acaba, perde a graça.
Na verdade, cansei da parte em que perde a graça e aí acaba de vez. Eu quero descobrir o que vem depois da conquista, depois daquele terrível (porém gostoso) "jogo de sedução".

Quero trocar as noites com horas e horas de arrumação, cabelo sem um fio fora do lugar e maquiagem perfeita (sem contar a lingerie nova) por uma tarde largada no sofá, com pantufa de pé de monstro, cara lavada e abraços enquanto se assiste um filme. Quero trocar o incômodo de um primeiro encontro para a maré calma de um relacionamento que está no 100º encontro. Quero montar uma árvore de Natal e dar risada. Quero, isso eu quero muito, uma referência masculina para a minha filha.

E isso não chega. Nunca. Em tempo nenhum. E aí que eu cansei de procurar. Cansei de trocar olhares, cansei de sair para um, dois encontros e não chegar ao terceiro. Cansei de gente traumatizada, com medo de entregar o coração. Eu entreguei o meu e sofri e chorei, mas não morri. Eu estou viva. E pronta para o próximo encontro. Mas com alguém que também esteja preparado.

Cansei dos homens e cansei mais ainda das mulheres fáceis que pipocam por aí. Cansei de tudo.

Só não cansei do blog, da minha vida, da minha família e dos meus amigos. Mas ando tão chata às vezes que o medo é que eles tenham se cansado de mim...

Sem mais. Volto amanhã.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Novos caminhos...

E pelo visto o que mais tem nesse mundo é mulher solteira. Sério. Um monte de amigas terminaram,estão terminando ou o cara não decide o que quer da vida. Nunca pensei que o meu "time" estaria tão cheio. Isso,por um lado,é bem triste. Por outro, sei que não estou sozinha nessa. Uhuuu!

Aí que,pensando nisso, resolvi bolar um projeto paralelo para o blog. Assim eu caço assunto e acabo juntando as amigas solteiras. Nós vamos transformar um pouco esse espaço aqui...vou manter o conceito de escrever as minhas histórias, mas com uma periodicidade ainda não definida,uma das meninas (sempre vai ser rotativo) vai escrever sobre um lugar que a gente visitou.

Vai ser mais ou menos assim: vamos fazer valer o nome do blog!! Vamos mostrar aqui os lugares que as revistas, pesquisas, psicólogos e amigos dizem que tem gente interessante. Vai ter de balada a barzinho, passando por mercado e padaria!!! E aí a gente vai relatar aqui o que viu, o que gostou e...bem, se tem mesmo "maridos em potencial". O intuito é só ser divertido e,por que não, informativo?

O que acham? Solteiras de São Paulo que quiserem participar é só comentar aqui...o legal vai ser que a gente vai conhecer amigas novas e montar um grupo de amigas beeeeem bacana!

É isso...boa semana!! Volto amanhã. JURO!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Porque não recomendo encontros às escuras...

Aí que eu resolvi me jogar em um quase encontro às escuras. E aí que eu descobri porque eles (quase) nunca dão certo...

Há algum tempo atrás um amigo me chamou para um happy hour com um pessoal cliente dele. Eu fui. E conheci o L, um cara que, depois de uma caipirinha passou de "educado" (por me fazer sala em uma mesa que eu não conhecia ninguém além do anfitrião) para "interessante" (total e completamente movida pelo fator etílico). E nessa noite trocamos BBMs. E desde então vira e mexe o cara me chama para "tomar alguma coisa". Pois bem...

Segunda, véspera de feriado. Ele me chama e eu digo que estou com uma prima. Ele resolve a situação e chama um amigo. Fomos a um bar/restaurante no centro de São Paulo, naquela rua que tem vários restaurantes da Família Mancini. Começo relatando que a idade média de quem vai lá é 80 anos. Mas tudo bem...

Chegando lá...o educado/interessante é, na verdade, bem feio. E ficou mais feio ainda depois que nos apresentou o amigo "Deus Grego" que ele levou para a minha prima. Primeiro pensamento: Droga, ela se deu bem e eu...mal,claro.

Aí que acontece o inesperado: não tínhamos papo! Ficamos lá, quatro estranhos tentando buscar um assunto em comum. E nem a novela das 9 salvou a gente. Nada. Nem o Estadão, a Globo.com ou qualquer site de cultura geral que possa ser quebra gelo. O bonitão era um tonto. Quando não estava no Iphone, falava do seu vício em Dry Martinis. O educado/interessante/feio deve ter percebido a minha inquietação (e irritação,claro).

Resultado: pagamos a conta (sim, eles não se ofereceram nem para transformar a noite em um prejuízo menor) e sugerimos um barzinho. Deus grego/acéfalo diz que precisa entregar a chave de casa para a mãe (oi???) e o educado/interessante/feio não se anima nem para tomar um chocolate quente na padaria. O jeito? Ir para casa com a prima e assistir "Meninas Malvadas"....

É, minha gente...a coisa tá feia meeeeesmo!!!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Bizarrices de um feriado...

Gente, depois de muito tempo eu tenho boas histórias para contar. Na verdade, não são boas, são engraçadas e renderam pautas para o blog!!

Prometo sentar em casa com carinho e escrever tudo para vocês,então o meu conselho é voltar amanhã porque...tchan tchan tchan tchaaaaaan...senta que lá vem história!!!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Falta de tempo + falta de criatividade =...

...blog desatualizado.

Sério. Ontem eu pensei (mais uma vez, eu sei) em escrever o post final do Como Agarrar um Marido. Mas aí que nem criatividade para um final decente eu tinha. E aí hoje eu acordei arrependida de matar o blog e decidi vir aqui pelo menos dar uma satisfação para os leitores fieis.

Não. Não sumi. Mas também não tem acontecido nada de empolgante. Talvez eu comece a relatar o meu dia de trabalho porque pra isso não falta assunto. Ou então eu vou ter que começar a procurar pautas ao redor do mundo porque eu realmente não tenho muito o que contar para vocês. Aliás, pensando em uma ideia: mandem vocês pautas ou sugiram temas que eu terei prazer em escrever. Quem sabe com vocês me ajudando a coisa volta a andar e eu volto aos posts diários? Boa ideia,hein?

O feriado está aí e eu não vou fazer nada em especial. Vou para a minha mãe, dar uma descansada, espairecida e enfiar a cabeça no mar, faça a temperatura que fizer. Preciso descarregar a uruca. Ando meio desanimada de tudo,sabem? Não tem motivo nenhum para isso, mas eu ando desanimada. Pode ser o cansaço de fim de ano. Ou pelo menos eu espero que seja. Estou quase começando a tomar aqueles complexos de vitamina para dar um UP no meu ânimo.

Fora isso...o que mais contar dessa semana? Muito trabalho, mas muita diversão. Isso é bom...as muitas horas de trabalho que rondam a minha vida me divertem. Sério. Isso é pra poucos. Sim, tem horas que eu me irrito, mas isso é muito muito raro. E aproveitando a falta de assunto, vou dividi com vocês uma fotinho de um dos eventos da semana, no salão do Proença.

Galera reunida e trabalhando. Atenção ao meu cabelo, loiro de novo...eu não consegui ficar morena. É muita responsabilidade...hahahahahaha


Então é isso, minha gente... me ajudem a conseguir assunto pro nosso cantinho! Eu vou me esforçar para caçar novidades também...

Beijos a todos que têm lido aqui!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Resultados de um fim de semana sem neuroses...

(música de fundo para o post: Weeeeeeee are the champions, my frieeeeeeeend....weeeee are the champions, weeeee are the chaaaaampions...!)

EU CONSEGUI!!! Eu NÃO mandei BBM para o moço durante o fim de semana!!! E querem saber...sábado,no fim da tarde, ele mandou mensagem pra mim!! Sim...me chamou no sábado E no domingo!!
(dancinha da vitória pra Tati,por favor...)


Conversamos amenidades e eu me senti vitoriosa porque ele me procurou e não fui eu a doida que foi atrás!!

Fora isso, sábado tivemos um curso na Ferraz sobre consultoria de imagem, com Chris Francini e Paula Martins, do Look do dia . Amei! A gente aprendeu várias dicas sobre o nosso estilo e, pasmem, fui classificada como sensual, esportiva e elegante. Hoje já estou de look apontado pelas consultoras. O mais divertido foi me reunir em um sábado na agência para discutir moda. Adorei!

Enfim...não tenho muito o que contar...eu precisava mesmo é dividir com vocês que, por 48 horas, eu não me rendi às neuroses da vida!!!!!!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Neuroses, psicoses e outras oses...


Eu confesso que sou uma pessoa neurótica. Ok, todo mundo é...eu sei. Mas eu sou além. Sabe quando você encasqueta com alguma coisa e vai até o fim pra saber se aquilo é aquilo mesmo? Sou eu. E aí que isso me faz ter aquele sentimento de "vergonha alheia" comigo!!! Sabem o que é você pensar: pobre coitada... e a "pobre coitada" é você!! Pois é...sou eu.

A pior coisa que existe no mundo (e a melhor também) é o Facebook. Lá você mexe o quanto quiser na vida de todo mundo (todo mundo que não trave o perfil, claro). E lá é que a neurose é alimentada...

Você mexe no perfil do seu pai, no da sua mãe, até no do seu cachorro, se você quiser...até que, num ato insano impensado você resolve fuçar no perfil do pretendente a pretendente a pretendente. E aí vê meia dúzia de recados. E não entende. E quer entender.

Se você for um ser normal, que não precisa de terapia, você vai fechar o perfil do cara e vai voltar ao curso normal da sua vida. Se você for louca, vai se remoer até saber quem é aquela pessoa. Vai caçar, caçar até você achar. Ou então vai direto na fonte, como uma desculpa imbecil sobre aquela pessoa. E vai se sentir uma retardada quando ele disser que é apenas uma amiga de longa data. Aí você se vê obrigada a mudar de assunto e se passar de louca fingir que nada aconteceu. E vai se sentir mais imbecil ainda.

Eu fiz isso (claro...alguém duvidou que eu falava de alguém que não fosse euzinha??). E me senti estúpida. E jurei que eu vou ficar longe do meu BBM por três longos dias (amigas podem conversar, clientes podem conversar, candidatos a pretendentes eu vou passar longe). Nem que eu coma um pote de sorvete. Ou uma caixa de bombons (ou a fábrica de bombons...). Estou começando a campanha NEUROSE não.

E tudo porque, no meio dessa conversa toda, eu li: passarinho bem cuidado não precisa de gaiola. E neurose, minha gente, faz o passarinho voar....

Sobre a amizade

Sempre me gabei por ter amizades verdadeiras de longa data. Tenho amigas que conheço desde que nasci e outras que me acompanham há pelo menos 20 anos. E no meio disso tudo sempre aparecem novas e boas amizades. E outras que me fazem quebrar a cara também.

E aí que eu estou numa fase de quebrar a cara com amizades. Assim...eu sou amiga da pessoa, mas a pessoa não é minha amiga. Descobri isso porque, quando eu mais precisei de um apoio, a pessoa arrumou uma desculpa esfarrapada dizendo que tinha que fazer algo que, me desculpe, poderia ser adiado.

Sabe o que foi pior? Foi saber que a pessoa que eu sempre ajudei, que eu estive ao lado quando precisou, me deixou num momento chato porque, sei lá, digamos que precisava comprar um sapato novo. Fiquei passada. E sabem o que eu fiz? Risquei do meu caderninho de amizades e passei para o de "conhecidos mais chegados".

Em contrapartida, tenho uma amiga de anos que, por mais que a gente não se fale com a mesma frequência porque ela está namorando, sempre que uma precisa da outra a gente está lá, independente de qualquer coisa. Faça chuva ou sol. Uma sempre está dando apoio para a outra...

Isso é amizade. Isso é estar lá. E é isso o que eu privilegio na minha vida. Amizade por conveniência ou via de mão única? Desculpa, não preciso...

Para essas, bye bye...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

No meio do caminho tinha uma pedra...

Ou várias. Ou muitas. E aí, como faz?

Ando sentindo um cansaço descomunal e sem motivo. Me falta pique para tudo. O trabalho é uma delícia, mas a mente já anda meio lenta. Os programas dos amigos são tentadores, mas e a preguiça de me deslocar do aconchego do lar? E acordar?? Acordar,então, tem sido um desafio e tanto. O despertador toca, mas a impressão é que eu não dormi o tanto que eu dormi...

Deve ser algum tipo de energia cósmica, porque muita gente que convive comigo anda se sentindo igual. Será o fim do ano chegando? Energia do 1.11.11? Ou simplesmente cansaço que acumula desde janeiro?

Não sei...o que eu sei que é no meio do caminho tenho encontrado muitas pedras. E está difícil chutar e dar uma banana para elas.

Mas e daí? Daí que eu sou forte e mesmo desanimada, vamos seguir em frente!!!!

Ah! Novidades...sou loira de novo. Meu momento "Carrie morena" durou exatos quatro dias. O tom de loiro não é o que eu quero, mas pelo menos eu olho no espelho e consigo reconhecer o reflexo. E, conclusão brilhante: se ser loira não é para qualquer um, ser morena também não.

Em 4 dias de morenice, aprendi a admirar as minhas amigas de cabelos escuros. E consegui montar SOZINHA uma cabaninha da Madu. E aí que ser morena seria a solução dos problemas? Não... ser loira é definitivamente mais divertido.

Bom feriado!