quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Música do dia...

Não, não estou deprimida, antes que me perguntem...
Mas eu AMO essa música e queria compartilhar com vocês.

Quem conhece??


Morri de tão linda...

Bjsss

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A hora certa...

Eu disse que não abandonaria o nosso barco aqui, certo? E cá estou eu, contando com a ajuda do mundo virtual para algumas questões que martelam a minha cabeça....

Antigamente a gente saía com um cara uma, duas, três, cinco vezes e vinha a pergunta "quer namorar comigo?". Aí você aceitava (ou não) e saía ligando pras amigas e pras tias chatas dizendo que sim, você estava finalmente aleluia namorando. E aí o namoro evoluía e só Deus sabe como as coisas terminariam.

Hoje não. Hoje a coisa mudou. As pessoas, lá sei eu por qual motivo, não querem (ou não ligam mais) rotular um relacionamento. Isso significa que, ainda que você e o cara estejam saindo há mais de um mês única e exclusivamente um com o outro, você não sabe se está namorando ou não. E isso implica na segunda parte do post: se você não sabe se está namorando, como é que vai apresentar (ou comunicar) a sua família de que não é mais uma pessoa avulsa?

Hora que a minha família que ainda me lê vai cair da cadeira em 3,2,1...

Eu conheci uma pessoa bem legal e desde então estamos saindo. Isso deve ter quase uns dois meses. E aí que eu fico me perguntando quando é que eu comunico a todos (todos=família). Tá bom que depois desse post eu não preciso me preocupar em comunicar nada porque eles vão ler por aqui. Pai, não se sinta o Zezé de Camargo, que descobriu que a filha não era mais virgem pela entrevista da Veja. Mas aí, dado o comunicado via blog, a pergunta que não quer calar é quando eu posso fazer as devidas apresentações.

Percebo que essa indefinição de relacionamento não é só comigo. Algumas amigas  passam (ou passaram) pela mesma coisa. E todas com a mesma dúvida. Será que essa coisa de não definir nada é coisa do mundo moderno? Ou será que na cabeça dos homens o rótulo (que pra gente é importante sim, vamos combinar...) não é nada que realmente importe e que pra eles tá tudo bem desse jeito?

Quem souber a resposta, por favor, compartilhe nos comentários.


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Novo projeto...sem esquecer daqui!!!

Meu blog de beleza, minha gente... quem pode me seguir lá também???

Clica aqui

Vou escrever novo post logo menos...tipo amanhã!

Beijos!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Mundo,estranho mundo...

Não sei se o problema sou eu ou o mundo em geral. Em tempos que falamos sobre o fim do mundo no fim do ano (quanto fim,né?!) me pego pensando se o mundo não precisa mesmo de uma "limpa". É gente matando gente por nada, mulheres engravidando porque o governo te dá um dinheirinho e relacionamentos sendo construídos baseados em "estranhezas". Às vezes acho que a solução seria deletar tudo e começar do zero mesmo.

Essa filosofia do "vale tudo" me incomoda muito. Até que ponto para se conseguir algo vale tudo mesmo? Até que ponto vale sacrificar a sua felicidade em troca de uma conta bancária polpuda (conheço gente que se casou simplesmente pelo dinheiro do parceiro e não pelo amor...)? Até que ponto vale a pena sacanear uma pessoa no trabalho, simplesmente porque você quer destaque? Até que ponto vale a pena você ser feliz causando sofrimento em uma outra pessoa? Até que ponto vale a pena você achar que uma pessoa é certa, dar isso como verdadeiro e bater a cabeça até que crie um galo eterno?

Não sei. O que eu sei é que cada vez mais ouço e conheço histórias e pessoas que passam por cima de tudo e todos em prol do próprio umbigo. E isso me deixa enojada.

O mundo está estranho. Ou então a estranha no ninho sou eu....