quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

O ano dos meus 30...

Então que eu vou fazer 30 anos. 30. E não estou em crise. Pelo contrário...estou amando.

E decidi fazer 30 coisas que nunca fiz na vida. Não sei ao certo quais serão as 30, mas já fiz duas e vou dividir com vocês;

1- Caminhar todos os dias. Já que eu odeio academia, andar é um ótimo exercício.
2- Praticar o bem e a caridade. Apadrinhei um cachorrinho. R$20,00 por mês. Uma não ida ao Mc Donald's e eu ajudo um cãozinho que precisa de cuidados especiais.
3- A terceira tem a ver com a caridade também, mas ainda não posso contar porque é surpresa...

Preciso de mais 27...quem me sugere?

Beijos!!

sábado, 5 de janeiro de 2013

Ser mãe é...

Fatos da maternidade que ainda não me acostumei:

Cenário: Tati e Madu assistindo Glee, quando dizem:
"Namoramos as duas únicas garotas do colégio que não querem transar..."

Madu vira: Mãe, o que é transar?
Eu: (silêncio sepulcral)......
Eu: (depois do silêncio): Ahn?
Madu: Ah...já sei...é namorar.
Eu: (em dúvida) É.....hum....
Madu: Mas é namorar tirando a roupa.
Eu: ....

Recordar é viver...e aprender.

Hoje uma grande amigo passou o dia comigo. Amigo mesmo, daqueles que a gente abre o coração e confessa o lado humano que tentamos (às vezes) esconder do resto do mundo.

E, depois de uma sessão de filme triste, pela primeira vez eu contei pra ele a história do blog (e, consequentemente, do Mr.Right). E recordar é viver. Mas, por incrível que pareça, não foi uma narração triste, cheia de dor como os posts que já escrevi atrás. Foi uma narração de uma pessoa que enfrentou de cabeça erguida uma dor muito forte. A de uma pessoa que superou seus limites emocionais quando achou que nada mais parecia fazer sentido. E aí eu aprendi hoje que recordar é viver e aprender.

Cada vez que conto a minha história de vida amorosa eu aprendo um pouco mais com tudo o que eu passei. E quanto mais o tempo passa, mais eu entendo e aprendo. E hoje foi um dia que eu contei a minha história inteira...começando do amor de adolescência até o dia de hoje, 5 de janeiro. E revivi tudo aquilo...todos os sentimentos, todo frio na barriga que senti com cada "paixonite" ou paixãozona que tive. Contei pra esse amigo como eu caí de cama depois do casamento do Mr.Right e como isso me ensinou que o maior amor é aquele que a gente por nós mesmos.

E depois de contar pra ele, vim aqui contar isso para vocês. Acho que é porque eu  gosto de dividir com os leitores que eu sei que entram aqui o que eu penso, o que eu sinto, o que eu acho. Me sinto meio "em débito" por ter começado esse espaço quando eu me sentia fraca e agora que tudo está melhor, sumir. Não tem que ser assim. Não precisa. Posso vir aqui e dividir não só meu muro de lamentações, mas também o que a gente pode tirar de cada tropeção amoroso que temos (que não são poucos).

É isso...recordar é viver e aprender. E viver melhor depois.

PS: ....................................... "muita coisa já se passou...."

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Apenas algumas observações..

1- Deveria ser detetive...eu consigo achar simplesmente de tudo nessa internet. Se alguém precisar de ajuda, falar comigo...hahahaha

2- De que adianta ter acesso a uma informação se você não faz a MENOR ideia do que pode fazer com ela?

3- A curiosidade matou o gato. Mas ele deve ter morrido feliz.

4- E agora, José??

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

2013 chegou!!!!!!!

...e que com ele só me venham notícias boas!!

E para todos nós, um ano de muita paz, saúde e amor...!